O SENHOR DA GLÓRIA


Entendo que muitos líderes religiosos que se intitulam cristãos vêm mudando a glória de Deus, e ensinando de forma incorreta o caminho da graça aos seus discípulos. A verdade bíblica virou promessa de político: “Se você aceitar a Cristo, todos os seus problemas serão resolvidos, automaticamente”. Com timidez e acanhamento para pregar o evangelho, a igreja corre ao risco de perder seu impacto sobre a sociedade, causando um dano enorme em nossa geração. Portanto, precisamos centrar o foco da proclamação pura e genuína do evangelho e no combate ao pecado interno da egolatria. Precisamos de uma igreja concentrada nas Escrituras, que honra e serve a Deus. Nós não precisamos de artistas, mas de servos de Deus chamados para anunciar a glória do Senhor. Somos sal, que não aparece, mas que dá sabor. Somos pecadores salvos pela graça de Deus, não pelas obras para que não nos gloriemos: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Ef 2.8,9). Mas porque Deus determinou salvar aqueles que creem nEle. Graça que pode alcançar qualquer pessoa. Entretanto, se alguém se achega a Deus com base em alguma suposta sabedoria, obra, riqueza ou poder, tal pessoa é fundamentalmente rejeitada. A razão da predestinação (escolha) de Deus é sobremodo importante. Ele escolhe os seus “a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus” (1Co 1.29). Deus não divide a sua glória com ninguém: “A minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura” (Is 42.8). “Por amor de mim, por amor de mim, é que faço isto; porque como seria profanado o meu nome? A minha glória, não a dou a outrem” (Is 48.11). Não devemos nos gloriar em nós mesmos, mas: “O que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado” (Jr 9.24). Ou seja, devemos nos gloriar em Deus: “... Aquele que se gloria, glorie-se no Senhor” (1Co 1.31).

Pela graça de Deus, confiamos, descansamos e entregamo-nos a Ele. Que é o centro de nossas vidas, é a nossa rocha, a nossa âncora, a nossa confiança. Assim, Deus, o Senhor da glória, repele silenciosa e eficientemente, a sabedoria, a soberba e egolatria da sociedade sem Deus. Precisamos de mais pessoas que façam coisas obedecendo a Deus e menos pessoas favorecendo o homem.

Soli Deo Gloria!

Nos laços do Calvário que nos une,
Rev. Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA