terça-feira, 31 de maio de 2011

DESPEDIDA DE SÃO SEBASTIÃO/DF

DOIS ANOS DE BATALHAS E GLÓRIAS

Completamos dois anos que estamos servindo a Deus na comunidade de São Sebastião-DF. O tempo passado aqui é muito valioso para as nossas vidas. Temos aprendido muito com Deus e com os irmãos na fé. Verdadeiramente, as promessas de Deus estão se cumprindo. Deus nos ensinou a amar a Igreja Cristã Presbiteriana nesta cidade de tal forma que doamos as nossas vidas em prol desta causa. Sabemos que a caminhada é muito longa, entretanto, também sabemos que na jornada da fé nunca ficamos sós, pois Deus está sempre ao nosso lado nos auxiliando.
Os nossos dias são breves aqui. Deus está nos chamando para outro lugar. As nossas vidas são como folhas que são levadas pelo vento (Espírito)... Mas, o mais importante é está onde Deus quer que estejamos. Temos o espírito missionário. Chegou a hora de passar o “bastão” para outra pessoa. Alguém que muito contribuirá para o crescimento desta Igreja. Recebam-no como nos receberam. Ou seja, com muita vontade, amor e auxílio.
Vamos com os nossos corações partidos, mas com a certeza de missão cumprida. Anelamos continuar com este laço de fraternidade. Isto será possível através de nosso Núcleo da Missão SAEM na cidade de São Sebastião. Continuaremos juntos na oração e na proclamação da poderosa Palavra de Deus.
As nossas palavras são de gratidão a Deus por ter nos guardado e concedido graça durante estes dois anos. Muitas foram as lutas e obstáculos. Todavia, olhávamos para as barreiras como oportunidades para crescermos. O nosso lema era: “Evangelizando vidas a qualquer custo!” Foi assim que dedicamos as nossas vidas na certeza das recompensas divinas. Agradecemos também aos amados irmãos que nos apoiaram e nos deram o total apoio. Sem vocês não teríamos alcançado as bênçãos de Deus. Louvamos ao Senhor pelo grupo de varões (UCPH), mulheres (SAF), jovens (UMCP), crianças (UCCP), música, GOI, professores da EBD e Junta Diaconal. Certamente, a recompensa de cada um virá das mãos de Deus.
Lembrem-se: o verdadeiro caminho é Jesus. Sirvam-no de coração aberto e amor. Esforçam-se para proclamarem o Evangelho. Nunca desanimem diante das dificuldades. Deus é Fiel para nos salvar.

Um grande beijo em seu coração!

Nos laços do Calvário que nos une,
Rev. Luciano Paes Landim
Brasília, 11 de janeiro de 2009.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

O Valor Inestimável da Pregação


A pregação é o fundamental meio de graça. É a ocupação primordial da Igreja e do proclamador do Evangelho. É a baliza essencial da verdadeira Igreja. É o meio pelo qual o Reino de Deus é acessível ou fechado aos pecadores. A mesma não pode ser desprezada. A igreja cresce ou diminui por causa da pregação. Daí, a importância e o valor da pregação. A pregação deve ser feita para a glória de Deus, para a edificação da Igreja e para a salvação dos pecadores.
A pregação da Palavra de Deus não é um privilégio exclusivo de pastores ou pessoas que estudaram num seminário teológico. Pelo contrário, ela está ao alcance de cada cristão que se prepara espiritual, moral e intelectualmente segundo o padrão das Escrituras. Ser um pregador do Evangelho não é uma opção, mas um mandamento divino (Mt 28.19-20).
Deve-se sustentar a viabilidade da pregação como meio escolhido por Deus para ser anunciado. Pregar é anunciar a salvação de Deus em Jesus Cristo. Os métodos são diversos, e não podem ser limitados, contudo nunca se deve abrir mão da fidelidade às Escrituras. O pregador deve considerar alguns pontos em sua mensagem:

1. Autoridade bíblica.
2. Cristocentricidade do sermão.
3. Espiritualidade e preparo do pregador.
4. Clareza e objetividade na ministração.
5. Exegese, relevância e contemporaneidade da mensagem.
6. Criatividade na comunicação. Etc.

O mais importante na pregação é a lealdade às Escrituras. Deus não tem compromisso com as palavras do pregador, mas com as palavras das Escrituras. Assim, pregador é aquele que “repete”, comunica e prega a Bíblia. A Palavra de Deus não volta vazia, e, portanto, não se deve desprezar o valor inestimável da pregação.

Nos laços do Calvário que nos une,
E no amor Daquele que disse “Ide, pregai, e fazei discípulos”,
Rev. Luciano Paes Landim

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Perseguição e galardão, nossa recompensa vem do Senhor

Perseguição e galardão, nossa recompensa vem do Senhor

Incontestavelmente, a fé cristã nos desafia a sofrer e padecer prélios em prol da causa do Evangelho. Nosso Mestre nos repta a encarar perseguições, sofrimentos e embustes. Nossa confiança celebra a glória de Deus e a nossa pequenez diante da grandeza do Todo Poderoso. O Senhor nos chama a negar-nos a nós mesmos, tomar a nossa cruz e depois segui-Lo. O Evangelho exige de nós renúncia e desambição para galgar a trilha do céu. Para seguir e servir a Cristo é necessário entregar o ser inteiramente ao Senhor e saber que não terá escolha alguma, mas que será guiado e conduzido por Ele. Para viver os milagres é imprescindível abdicar a própria vida para viver Cristo no coração. Para conhecer a Deus é cogente acreditar piamente em Sua Palavra. As Sagradas Escrituras são puras e verdadeiras. Elas libertam e acalmam o coração aflito e flébil.
Somos peregrinos nesta terra. Não somos habitantes desta cidade. Somos cidadãos dos céus. Herdeiros de Cristo. Nosso prestígio é o encalço. Somos a escória e o restolho do mundo. Fomos chamados para ser escarnecidos, gracejados e difamados. Devemos seguir os passos de Cristo – chegar até a cruz. A extenuação é a nossa auréola. Nossa alegria é a vida eterna em Cristo. Nosso gozo está na esperança que permanece em Cristo. Não nascemos para o fracasso. Portanto, nossa vitória é a perseguição por causa de Cristo. Perseguição não é derrota. Nosso prêmio não é dinheiro, nem fama ou prazeres deste mundo. Nosso galardão é a coroa da vida. Não podemos esperar recompensas deste mundo. Nossos lauréis vêm de Deus exclusivamente.
As pelejas não podem nos desestimular. Nem os combates sofridos nos desanimar. A perseguição deve ser o combustível do nosso sucesso. Mesmo cansados necessitamos prosseguir. O nosso trabalho não é vão no Senhor. Deus vê e recompensa todas as coisas. Nada passa despercebido ante Seus olhos. Nossas armas para alcançar o prêmio são:

1. Insistência: a persistência é uma arma que nos faz prosseguir. É uma lança que fere o inimigo e nos faz acreditar na vitória.
2. Paciência: uma virtude que deve permear a vida de quem quer vencer. Calma e resignação faz com que o lutador aguarde o momento certo de cantar o hino da vitória.
3. Fé: não se pode vencer sem crer; é preciso acreditar que a derrota pode se reverter em vitória, que a morte pode virar vida, e o deserto em campina.
4. Coragem: entusiasmo é força que nos faz insistir. Ânimo que impulsiona a caminhar.

Assim sendo, devemos marchar resolutos na certeza de que em Cristo podemos passar por várias situações e que em nenhuma delas estamos sós. Cristo é a confiança que tanto esperamos. No grande Dia veremos e discerniremos os mistérios ocultos. Será o Dia da nossa recompensa e gozo. Será o Dia do castigo do ímpio.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim

TUDO ENTREGO A DEUS

Tudo Entrego a Deus

Sem sombra de dúvida, Deus está no controle de todas as coisas. Tudo foi criado por Ele e por intermédio Dele. Tudo foi construído para a glória Dele. O universo é regido e sustentado pela potente mão do Senhor. Nada do que acontece no céu, na terra e debaixo da terra é sem a permissão de Deus. Sabedor disso, o ser humano deve entregar-se inteiramente ao grande Rei na certeza de que tudo é circunspecto por Ele.

Nada foge do controle do bom Deus. Tudo está determinado. Tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que foram chamados segundo o seu propósito. Cristo governa o mundo e decide todas as coisas. Até mesmo aquelas que aparentemente parecem fugir da compreensão humana. Até mesmo aquelas que duvidamos de que estão subjugadas ao Deus Eterno.

Tudo que vemos é temporário. Tudo que vemos é passageiro. Os ventos vêem e passam. As tempestades surgem e vão. Só existe uma coisa eterna – a salvação em Cristo. Essa é a certeza que temos e a esperança de que dias melhores virão, isto é, na eternidade. Não podemos ser pessimistas ao ponto de pensarmos que só obteremos sofrimentos nesta existência, mas que glórias alcançamos neste mundo e no vindouro. Bem aventurados somos nós quando somos injuriados por causa de Cristo.

Nada do que somos e do que temos é nosso. Tudo é do Senhor. Nosso passado, nosso presente e o nosso futuro pertencem a Deus. Não podemos pensar que somos donos de nossas próprias vidas. Fomos criados para a glória de Deus.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim

Educando para a glória de Deus