domingo, 24 de fevereiro de 2013

O Coração Missionário de Deus

A Base Bíblica de Missões em João 3.16

“Deus tinha um único filho e fez dEle um missionário.” David Livingstone

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16).

O Deus Missionário enviou o seu único Filho para buscar e salvar o perdido. No texto bíblico citado diz que Deus deu Jesus ao mundo. O verbo “dar” neste sentido, não é meramente uma determinada pessoa abrir a mão e oferecer alguma coisa a outrem. Antes, é dar ou ofertar uma dádiva preciosa para alguém que não merece, sem impor o recebimento de alguma coisa em troca ou barganha. Foi exatamente o que Deus fez: ofereceu o seu Filho amado para resgatar o homem que se havia se afastado completamente dEle. Para entender missões é preciso partir deste princípio: Deus deu o seu Filho e o próprio Filho se deu para salvação dos eleitos.

A verdade é que Deus Pai é Missionário, pois isto é demonstrado quando Ele envia o Deus Filho para a missão de salvar e resgatar o perdido. Depois, Deus Pai e Deus Filho enviam o Consolador, o Espírito Santo, para habitar dentro dos regenerados. Ou seja, missões estão profundamente ligadas com a Trindade. Ou melhor, missões originam-se e encerram-se no Deus Trino. Deus tem um coração missionário.

Deste modo, se Deus Pai é Missionário, se Deus Filho é Missionário e se Deus Espírito Santo é Missionário, logo, você e eu também devemos ser missionários.

Que o Senhor da missão levante mais trabalhadores para a sua seara, e que dentre esses trabalhadores estejam você e eu!

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

PRINCÍPIOS DE DEUS PARA UMA FAMÍLIA FELIZ

Introdução:

O que é a família? Qual é o plano de Deus para a família? Quais são os inimigos que desestruturam a família? Quais são os princípios de Deus para se ter uma família feliz? O apóstolo Paulo em sua carta ao Colossenses, nos fala de maneira clara e direta sobre alguns princípios divinos para uma família feliz. Paulo nos mostra o plano de Deus para os esposos, esposas, pais e filhos, de modo que centraliza a família no projeto de Deus. Família é criação de Deus.

Ataques que desestruturam a família:

Alguns ataques que desestruturam a família são: alcoolismo, drogas, desemprego, preconceito, adultério, homossexualismo, aborto, divórcio, abuso sexual, desrespeito, incompreensão, falta de comunicação, filhos rebeldes, pais incompreensíveis e irresponsáveis, filhos querendo tomar o lugar dos pais, infanticídios, parricídios, matricídios, etc.
Perante essas problemáticas, surgem as perguntas: O que fazer e como fazer para proteger a família diante desses ataques que a desestruturam? Qual é o plano de Deus para um lar ditoso? Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, nos dá as respostas. Vejamos:

A esposa deve ser submissa ao marido:

Em Colossenses 3.18 diz: “Esposas, sede submissas ao próprio marido, como convém no Senhor”. Aqui, o apóstolo não está inferiorizando a mulher como se a mesma não tivesse valor ou dignidade. Mas, mostrando o papel fundamental, de valor inestimável e diferencial que ela exerce na família. Homem e mulher têm papéis distintos no casamento. O fato é que a mulher deve ser submissa ao seu próprio marido. Não compete a ela tentar dominar o homem (Gn 3.16). Isto não quer dizer que a mulher seja inferior. Entretanto, a mulher foi criada para ser uma auxiliadora idônea do homem (Gn 2.18). Ela não é o cabeça da família, mas o homem (Ef 5.23). Ao submeter-se ao homem a mulher exerce uma missão sob a missão do marido, isto é, sujeitando-se ao marido com alegria e espontaneidade e compreendendo que este é o princípio divino para sua felicidade e liberdade.

O esposo deve amar a esposa e não pode tratá-la com amargura:

Toda mulher não terá problema de submeter-se ao marido amoroso. Paulo nos diz em Colossenses 3.19: “Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura”. Em Efésios 5.25 o apóstolo também diz: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela”. Isto significa que o amor do marido pela esposa deve ser sacrificial, como o amor de Cristo pela igreja. O amor de Jesus pelo seu povo é perseverante e prático, não em meras palavras, mas em sacrifícios de amor. Assim também deve ser o amor do homem pela mulher. Observe que aqui o amor é entre um homem e uma mulher, casados.
É papel também do esposo cuidar e suprir emocional (não a tratando com amargura, mas com atenção, respeito, sensibilidade e fidelidade) e fisicamente as necessidades da mulher de maneira servil e não tirana, compreendendo que sua felicidade está em obedecer este princípio bíblico.

Os filhos devem ser obedientes aos pais em tudo:

Colossenses 3.20 afirma: “Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor”. Em Êxodo 20.12 está o mandamento aos filhos: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”. O apóstolo Paulo também diz em Efésios 6.2: “Honra teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa)”. Os filhos devem ser obedientes aos pais porque isso é justo diante de Deus. A liberdade e a felicidade dos filhos estão em honrar os pais. A autoridade dos pais sobre os filhos foi conferida pelo próprio Deus. Filhos sábios são aqueles que seguem veementemente este princípio divino e assim desfrutam da promessa de uma vida abençoada. Ou seja, os filhos devem ouvir respeitar, obedecer, honrar e cuidar dos pais, pois isso é grato diante do Senhor.

Os pais não podem irritar os filhos, para que os mesmos não fiquem desanimados:


Paulo diz em Colossenses 3.21: “Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados”. Mas, de que maneira os pais irritam os filhos? Os pais irritam os filhos quando ensinam com palavras, mas não com exemplo. Ou seja, os pais chateiam os filhos quando seguem o incoerente ditado: “Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço”. Pais que vivem de forma irresponsável, sem tempo para os filhos e de maneira repreensível, acabam aborrecendo e desanimando os filhos. O coração dos pais precisa ser convertido aos filhos e o coração dos filhos aos seus pais (Ml 4.6). Os pais devem criar os filhos no temor do Senhor, na disciplina dos princípios divinos e admoestando-os na Palavra de Deus. Os pais devem ser exemplos para os filhos, pois assim, estarão animando os filhos nos caminhos do Senhor e praticando o princípio para sua própria felicidade.

Conclusão:

Portanto, diante dos ataques frontais que a família sofre, precisamos resgatar urgentemente os princípios de Deus para uma família feliz. Onde os relacionamentos familiares devem ser orientados pela Bíblia, de modo que todos os integrantes da família abandonem a prática do pecado e renovam os princípios que glorificam a Deus. Lembrando que, a felicidade humana está assentada em três pilares: Deus, a Bíblia e a família. Isto quer dizer que é tempo de investirmos na família da maneira bíblica: colocando Deus acima das pessoas, o cônjuge acima dos filhos, os filhos acima dos amigos e os relacionamento acima das coisas.

Nos laços do Calvário que nos une,
Pastor Luciano Paes Landim.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Este ano vou pular (novamente) o Carnaval


Estamos nos aproximando de mais uma data festiva de nosso país. Para alguns, o ano só começa depois deste período. O Carnaval é conhecido por suas festas, multidões, escolas de samba, desfiles, bebidas, namoros sem compromisso, etc. São alguns dias em que muitos foliões se “divertem” pulando no Carnaval. Outros, porém, preferem passear, retirar-se ou estudar durante este período, etc. O fato é que são muitas as festas realizadas ao mesmo tempo em todo o país. O governo considera o Carnaval como cultura e que o mesmo movimenta muito dinheiro e que, portanto, uma verba é destinada anualmente para a realização da Festa da Carne.

Para minha surpresa, ao buscar o significado da palavra “Carnaval” no meu computador deparei-me com algumas definições pertinentes: Confusão, desordem, trapalhada, etc. Realmente, esta é a imagem que fica na mente de muitos quando leem os jornais depois que a festa acaba: brigas, mortes no trânsito, pessoas presas, outras contaminadas por doenças sexualmente transmissíveis, overdoses, comas-alcoólicos, gravidez indesejada, etc. Entretanto, a imagem para outros é a da folia, novos namoros, prazeres do sexo, muita cerveja, etc.

Confesso que antes mesmo de ser convertido ao Evangelho eu já não gostava de Carnaval. Sempre tive em mente que o nosso país pode viver sem Carnaval. Somos conhecidos lá fora assim: Brasil, o país do Carnaval. Bom seria se fôssemos conhecidos como o país da educação, da saúde, da justiça social, da honestidade; principalmente na política. Portanto, decidi novamente pular o Carnaval (e não pular no Carnaval). Sim, pularei esta festa. Saltarei do mesmo modo que no ano passado e nos anos anteriores. O salto será bem alto e grande. Decidi ficar em casa curtindo a minha família.

E você, vai pular o Carnaval ou vai pular no Carnaval?

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

HOJE NASCEU A MINHA PRIMAVERA


Meus irmãos, hoje nasceu a minha primavera. O bondoso Deus, por sua divina providência, agraciou-me hoje com o meu primeiro filho. Nasceu o meu primeiro herdeiro! O nome dele será “Miqueias”, nome de um dos profetas do Antigo Testamento, que significa “Quem é como Deus?”. Verdadeiramente, não há outro Deus como o nosso Deus! Miqueias foi o profeta da justiça e da esperança. Foi ele quem predisse a cidade onde Jesus nasceria.

Neste exato momento estou pensando no que o meu filho será quando crescer: Um grande professor? Um médico? Um cientista? Um economista? Um empresário? Um juiz? Não sei, ele mesmo deverá escolher a sua profissão. Mas, antes de qualquer coisa, ele deverá ser alguém temente a Deus, alguém que ama a Deus acima de todas as coisas, com toda a força, inteligência e alma. Ele viverá para a glória de Deus!

Soli Deo Gloria.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

O pecado é inevitável

Esboço de sermão

Rm 3.23

Introdução:

1. "Não sou pecador porque peco, mas peco porque sou pecador" (autor desconhecido).
2. Aprender o bastante sobre a Bíblia e também sobre os seres humanos nos faz saber que no presente século não é possível não pecar.

Três etapas em todo o drama humano:

1ª – Antes da queda – posse non pecare - é possível não pecar.

2ª – No mundo porvir – non posse pecare - não é possível pecar.

3ª – No mundo presente – non posse non pecare - não é possível não pecar.

Conclusão:

1. O único e verdadeiro remédio para o pecado envolve arrependimento genuíno, confissão (reconhecimento de que você merece a disciplina de Deus, porque apenas você é o responsável pelo seu pecado) – então a restauração e o crescimento por meio de uma disciplina espiritual de oração, estudo da Bíblia, comunhão com Deus e com os irmãos e a dependência de Cristo.
2. A solução para o pecado está na cruz de Cristo!

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Evangelização e Missões - Top Six


Com o propósito de incentivar a leitura de boas obras sobre evangelização e missões, deixo aqui uma lista de seis livros (Top Six), os meus preferidos, sobre o referido tema:

Observação: os livros não estão necessariamente em ordem de importância.

1. A MISSÃO CRISTÃ NO MUNDO MODERNO – John Stott (Editora Ultimato).

2. A EVANGELIZAÇÃO E A SOBERANIA DE DEUS – J. I. Packer (Editora Cultura Cristã).

3. EVANGELISMO – John MacArthur (Editora Fiel).

4. ALEGREM-SE OS POVOS – John Piper (Editora Cultura Cristã).

5. A MISSÃO DO POVO DE DEUS – Christopher J. H. Wright (Editora Vida Nova & Betel Brasileiro).

6. O EVANGELHO E A EVANGELIZAÇÃO – Mark Dever (Editora Fiel).

Que a leitura destas obras edifique sua vida!

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

Educando para a glória de Deus