terça-feira, 1 de maio de 2018

Educando para a glória de Deus



Breves reflexões sobre a Educação Cristã
Por Luciano Paes Landim
Introdução - O maior educador
A pedagogia de Jesus até hoje não foi ultrapassada – o seu ensino partia da experiência própria e individual de seu ouvinte para a aplicação do ensino desejado (Jo 2.13-22). Em Jesus, o Mestre dos mestres, o ensino atinge o seu apogeu; Ele ensinava com palavras e com sua vida em todos os lugares e em todo o tempo. Jesus transmitia aos discípulos vida e não meras palavras; ele se preocupava mais com a formação do que na quantidade de informações; ele dedicava tempo e convívio aos discípulos.

Não há neutralidade no homem nem na educação
Biblicamente falando, o homem não é um ser neutro, nem produto do meio, mas já nasce em pecado, com a inclinação para o mal: “Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl 51.5). Sendo assim, é necessário educar a partir da perspectiva correta, ou seja, da fé bíblica. A Educação Cristã é fundamentada nas Escrituras Sagradas e sustentada pelo Espírito Santo. Como afirmou Augustus Nicodemus “Educação Cristã é ensinar ciências, história, comunicação, sociologia, filosofia, etc. a partir dos pressupostos cristãos”.

Educação teorreferente
A verdadeira educação é teorreferente, isto é, tem Deus como referência, centro e propósito. Isto nos exige um reexame dos conceitos – uma avaliação criteriosa da nossa filosofia de vida. É uma educação que mostra a sabedoria não como mero conhecimento, mas sim, a aplicação correta do conhecimento adquirido. O homem foi criado para glorificar a Deus. Portanto, é a Educação Cristã que vai proporcionar ao homem este conhecimento.

Mandamento, conteúdo e currículo
A Educação Cristã é um mandamento: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações... ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado...” (Mt 28-19-20) e o seu o conteúdo programático é a Palavra de Deus: “Porque Esdras tinha disposto o seu coração para buscar a Lei do SENHOR, e para a cumprir, e para ensinar em Israel os seus estatutos e os seus direitos” (Ed 7.10), sendo que o seu currículo não é opcional, mas determinado pelo próprio Deus.

Conclusão - De quem é a responsabilidade?
A responsabilidade de educar pertence aos pais, à escola e a igreja. A Bíblia apresenta a responsabilidade de educar como uma determinação primordial dos pais: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for velho não se desviará dele” (Pv 22.6). A Escola Cristã deve ser considerada uma extensão do lar cristão. João Calvino fundou, em Genebra, uma “Academia Cristã”, instituição de educação superior, seguindo os moldes e as diretrizes bíblicas. A Igreja deve, em missão, discipular a as nações e isto ensinando as pessoas a guardarem a Palavra de Deus (Mt 28-19-20). Ou seja, os pais, a escola e a Igreja, juntos, trabalham com um só propósito, que é o de conceder às pessoas a possibilidade de atingir a maturidade cultural e espiritual.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

Educando para a glória de Deus