terça-feira, 30 de junho de 2015

Pensando sobre a obra missionária


Pensando sobre a obra missionária, tenho meditado sobre três pontos:

Primeiro, como um pastor local e professor de teologia, sinto-me no dever de me comprometer com missões no que refere ao despertamento e capacitação missionária. Sinto-me na obrigação de conscientizar e preparar as ovelhas e os alunos no que tange à obra de missões. Entendo que o pastor, por ser o líder da igreja local, tem o papel de engajar a igreja na obra evangelística local e mundial.

Segundo, tem pessoas querendo fazer missões à distância. Sim, eu disse “fazer missões à distância” e não “fazer curso de missões à distância”. Orar e ofertar para missões não é fazer missões à distância (se é que existe isso). Muitas pessoas acham que orar e ofertar é o suficiente. É claro que sem oração e sem o sustento financeiro fica inviável a obra de missões, porém, a questão não é somente receber as notícias dos missionários e interceder/ofertar pelos os mesmos. É preciso se comprometer com o evangelismo e o discipulado individual e coletivo, seja perto ou longe, local ou mundial. Precisamos ter igrejas missionais e missionárias, isto é, igrejas que façam a diferença onde estão e que enviem missionários aos campos não alcançados. Mas, não podemos esquecer-nos de orar consistentemente e levantar recursos para missões.

Terceiro, não podemos fazer missões semipresencialmente, isto é, evangelizar os povos e não discípulá-los, ir de vez em quando ao campo missionário. O trabalho precisa ser consistente, presente, atuante e contextual. Uma das maiores tragédias que podemos cometer no campo missionário é a evangelização sem o discipulado. É como uma mãe que dar à luz, mas não quer assumir a criança (amamentar, cuidar, dar banho, vestir, proteger e etc. o bebê). Missões é a evangelização com o propósito de discipular, amadurecer e fazer multiplicar aqueles discípulos que foram alcançados com o evangelho, e isto só é possível com a implantação de igrejas saudáveis.

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

sexta-feira, 26 de junho de 2015

PALESTRA "LOUVOR É MAIS QUE MÚSICA"


No dia 11 de julho de 2015, às 20h, estarei ministrando uma palestra sobre o meu livreto "Louvor é Mais Que Música". Será na Igreja Batista Gileade em São Sebastião/DF. Entrada gratuita!

quarta-feira, 24 de junho de 2015

DICAS DE LEITURAS – MAIS CINCO (05) LIVROS


Desejo indicar aqui a leitura de mais cinco (05) livros. Espero que gostem!

01 - GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA FILOSOFIA. Luiz Felipe Pondé, 232 páginas, Leya, 2012.
O livro é um ensaio de ironia filosófica do cotidiano. O autor destrói todo o conceito do politicamente correto, que é uma verdadeira praga. Para Pondé, o politicamente correto é uma mentira moral. A leitura é fascinante!

02 - AUTOESTIMA: UMA PERSPECTIVA BÍBLICA. Jay Adams, 160 páginas, ABCB, 2014.
Há uma diferença enorme entre a autoestima e a auto-renúncia. Adams contrasta a abordagem secular com a Bíblia. O autor convida o leitor a voltar-se inteiramente para as Escrituras Sagradas e estimula o cristão a avaliar o movimento da autoestima de acordo com a Palavra de Deus. Ou seja, em vez de encontrarem-se a si mesmos, os discípulos de Cristo devem negar-se a si mesmos.

03 - O DISCIPULADO SEGUNDO JESUS. James Montgomery Boice, 240 páginas, Cultura Cristã, 2001.
O livro nos convoca a avaliarmos o significado, o caminho, o preço e as recompensas do verdadeiro discipulado. Altamente recomendável!

04 - UM HOMEM OLHANDO A SUA ESPOSA. Wadislau M. Gomes , 96 páginas, Editora Monergismo, 2014. 
Gosto bastante de ler o Wadislau. O livro é tanto para os que vão casar como para os que já são casados. O conteúdo é bíblico. O autor entende a teologia do pacto e mostra que a razão principal do casamento é a glória de Deus. Recomendo a leitura!

05 - LIDERANÇA E INTEGRIDADE. Ronaldo Lidório, 112 páginas, Editora Betânia, 2008. 
É o quinto livro que leio do autor neste ano. Vou ler mais livros do autor até o final do ano.

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

terça-feira, 23 de junho de 2015

DICAS DE LEITURAS – 05 LIVROS


AUTOESTIMA: UMA PERSPECTIVA BÍBLICA. Jay Adams, 160 páginas, ABCB, 2014.
Há uma diferença enorme entre a autoestima e a auto-renúncia. Adams contrasta a abordagem secular com a Bíblia. O autor convida o leitor a voltar-se inteiramente para às Escrituras Sagradas e estimula o cristão a avaliar o movimento da autoestima de acordo com a Palavra de Deus. Ou seja, em vez de encontrarem-se a si mesmos, os discípulos de Cristo devem negar-se a si mesmos.

TRÊS TIPOS DE FILOSOFIA RELIGIOSA. Gordon Haddon Clark, 182 páginas, Editora Monergismo, 2013.
O livro é uma introdução ao estudo da filosofia da religião. Para o Dr. Clark, tanto o racionalismo como o empirismo são falácias. A verdade, segundo o autor, está naquilo que ele chama de "Escrituralismo" ou "Dogmática".  Resumindo a obra: devemos crer na Bíblia simplesmente porque ela é a Palavra de Deus.

CRISTIANISMO BÁSICO. John Stott, 208 páginas, Editora Ultimato.
O autor mostra que Jesus foi uma pessoa histórica. Afirma com base nas Escrituras as duas naturezas do Redentor: Humana e divina. As duas naturezas são distintas e perfeitas. Stott diz que Jesus não somente deve ser admirado, mas adorado. 

SAL E LUZ: Compreendendo, vivendo e praticando a missão. Ronaldo Lidório, 224 páginas, Editora Betânia, 2014.
Procuro sempre ler o missionário Lidório. É sempre edificante ler as palavras de quem conhece o campo missionário. O autor mostra que a motivação missionária da igreja deve ser a glória de Deus. 

PARA VÓS E PARA VOSSOS FILHOS: O BATISMO CRISTÃO. Paulo Roberto Batista Anglada, 64 páginas, Knox Publicações, 2014.
Gosto muito de ler o Dr. Anglada. A presente obra é breve, porém, de grande importância. Aqui o autor defende o batismo infantil afirmando que o mesmo se fundamenta no reconhecimento de que a ação redentiva e revelacional de Deus neste mundo é pactual.

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

Educando para a glória de Deus