Pular para o conteúdo principal

DICAS DE LEITURAS – MAIS CINCO (05) LIVROS


Desejo indicar aqui a leitura de mais cinco (05) livros. Espero que gostem!

01 - GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA FILOSOFIA. Luiz Felipe Pondé, 232 páginas, Leya, 2012.
O livro é um ensaio de ironia filosófica do cotidiano. O autor destrói todo o conceito do politicamente correto, que é uma verdadeira praga. Para Pondé, o politicamente correto é uma mentira moral. A leitura é fascinante!

02 - AUTOESTIMA: UMA PERSPECTIVA BÍBLICA. Jay Adams, 160 páginas, ABCB, 2014.
Há uma diferença enorme entre a autoestima e a auto-renúncia. Adams contrasta a abordagem secular com a Bíblia. O autor convida o leitor a voltar-se inteiramente para as Escrituras Sagradas e estimula o cristão a avaliar o movimento da autoestima de acordo com a Palavra de Deus. Ou seja, em vez de encontrarem-se a si mesmos, os discípulos de Cristo devem negar-se a si mesmos.

03 - O DISCIPULADO SEGUNDO JESUS. James Montgomery Boice, 240 páginas, Cultura Cristã, 2001.
O livro nos convoca a avaliarmos o significado, o caminho, o preço e as recompensas do verdadeiro discipulado. Altamente recomendável!

04 - UM HOMEM OLHANDO A SUA ESPOSA. Wadislau M. Gomes , 96 páginas, Editora Monergismo, 2014. 
Gosto bastante de ler o Wadislau. O livro é tanto para os que vão casar como para os que já são casados. O conteúdo é bíblico. O autor entende a teologia do pacto e mostra que a razão principal do casamento é a glória de Deus. Recomendo a leitura!

05 - LIDERANÇA E INTEGRIDADE. Ronaldo Lidório, 112 páginas, Editora Betânia, 2008. 
É o quinto livro que leio do autor neste ano. Vou ler mais livros do autor até o final do ano.

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”