sábado, 28 de julho de 2012

Bibliografia Sugerida de Antropologia Missionária


Abaixo, uma lista de livros no campo da Antropologia Missionária:

CASTRO, Onésimo M. De. Esperando a Volta do Criador: Expectativa messiânica de um povo indígena “isolado” na Amazônia. Anápolis, GO: Transcultural Editora, 2008.

HESSELGRAVE, David J.. A comunicação transcultural do evangelho, vols. 1, 2 e 3. São Paulo: Vida Nova, 1994.

HIEBERT, Paul G., O evangelho e a diversidade das culturas: Um guia de antropologia missionária. São Paulo: Vida Nova, 2001.

KASER, Lothar. Diferentes culturas. Londrina: Editora Descoberta.

LIDÓRIO, Ronaldo. Introdução à Antropologia Missionária. São Paulo: Vida Nova, 2011.
___________. Dialektos – Método de aquisição e avaliação linguística.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura – Um Conceito Antropológico. 11.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1997. 116p.

LAUSANNE, Comissão de. O Evangelho e a Cultura. ABU Editora e Visão Mundial.

LEITO FILHO, Tácito da Gama. Fenomenologia da Religião. Rio de Janeiro: JUERP, 1993.

MANSOO (Abraão) Mok. Antropologia Cultural - numa perspectiva missionária. Belo Horizonte: Editora Ame Menor.

NICHOLLS, Bruce J. Contextualização: Uma Teologia do Evangelho e Cultura. Trad.: Gordon Chown. São Paulo: Sociedade Religiosa Edições Vida Nova, 1983.

NIDA, Eugene A., Costumes e culturas: Uma introdução à antropologia missionária. São Paulo: Vida Nova, 1985.

O Evangelho e a Cultura. Série Lausanne, No. 3. 2a. Ed. Belo Horizonte: ABU Editora e Visão Mundial, 1985.

OLSON, Bruce. Por Esta Cruz Te Matarei. Trad.: Dina Rizzi. Miami: Editora Vida, 1979.

PATE, Larry D. Missiologia: a missão transcultural da igreja. São Paulo: Editora Vida, 1987.

REIFLER, Hans Ulrich. Antropologia Missionária para o século XXI. Londrina. Editora Descoberta, 2003.

RICHARDSON, Don. O Fator Melquisedeque. São Paulo, SP: Edições Vida Nova, 1986.
___________. O Totem da Paz. Belo Horizonte, MG: Editora Betânia, 2007.
___________. Senhores da Terra. Belo Horizonte, MG: Editora Betânia, 2009.

ROCHA, Everardo P.G. O Que é Etnocentrismo. Editora Brasiliense, São Paulo, 1984.

SILVA, Cácio. Fenomenologia da Religião. Anápolis, GO: Transcultural Editora.

SOUZA, Isaac Costa. De Todas as Tribos: a missão da igreja e a questão indígena. 2a. Ed. Viçosa: Ultimato, 2003.

STEVENS, Hugh. Manuel, o Índio Diplomata. São Paulo, Editora Fiel, 1976.

Wilbur, Odonovan Jr. O Cristianismo bíblico da perspectiva africana. São Paulo: Editora Vida Nova.

WINTER, Ralph e Hawthrorne C.Steven. Missõses Transculturais: uma Perspectiva Cultural. São Paulo: Editora Mundo Cristão, 1987. 654p.

Wright, Robin (Org.). Transformando os Deuses – Os múltiplos sentidos da conversão entre os povos indígenas no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

A Base Bíblica de Missões em Gênesis 1.1


“No princípio, criou Deus os céus e a terra.” Gn 1.1

1. Perguntas:

Começaremos a nossa abordagem perguntando: Deus existe? Se sim, qual a natureza de Deus? Como o mundo começou e qual o seu propósito?

2. Definindo alguns termos de Gn 1.1:

O título hebraico do livro “Gênesis” deriva de suas palavras iniciais (bereshith – “no princípio”). Por todo o livro, observa-se que a finalidade é abordar “princípios”. Em Gn 1.1 não há razão para que se situe uma data para a criação do mundo ou do universo. “No princípio” não se refere ao princípio da eternidade, mas da criação do mundo. Este texto pode ser traduzido assim: “No começo, quando Deus criou os céus e terra”, ou “Quando Deus começou a criar os céus e a terra” (Bíblia de Estudo Nova Tradução na Linguagem de Hoje). A palavra “criou” é um verbo que no hebraico sempre tem Deus como sujeito, ou seja, criar é algo que somente Deus faz (v. 27; 5.1; Dt 4.32; Is 45.2; 65.17; 66.22). Aqui Deus criou “os céus e a terra”. Era assim que os hebreus falavam sobre o Universo, isto é, sobre todas as coisas (Gn 2.1,4; Ap 4.11). A expressão “criou Deus” não é uma tentativa de Moisés, o autor do livro, provar ou defender a existência de Deus. O autor parte do princípio, subtendido, de que Deus existe.

3. O que Gn 1.1 nos ensina sobre Deus?

1. Deus é o criador de todas as coisas. Ou seja, Ele é o autor de tudo.
2. Deus existe até mesmo antes da fundação do mundo. Ou seja, Deus é eterno.
3. Deus é transcendente. Ou seja, Ele não pode ser confundido com a criação. A Bíblia nega o panteísmo e o panenteísmo (panteísmo significa literalmente que tudo (“pan”) é Deus (“teísmo”), o panenteísmo significa “tudo em Deus”).
4. Deus é uma pessoa. Ele não é uma energia ou poder, mas uma pessoa. Ele também se dá a conhecer. Deus também é imanente.
5. Deus é o único Deus verdadeiro. Gênesis nega o politeísmo (crença em vários deuses). Os outros deuses são demônios e não devem ser adorados (ver Dt 32.16-18).
6. Toda adoração e obediência devem ser exclusivas ao único Deus verdadeiro. Deus requer exclusividade.

4. A Base Bíblica de Missões em Gn 1.1:

A base bíblica de missões tem seu início no princípio de tudo. Esta é a primeira verdade missiológica que encontramos nas Escrituras. A história da salvação não é algo imprevisto, como se Deus tivesse sido pego de surpresa. Pelo contrário, há uma linha reveladora da parte de Deus, desde o início, em Gênesis, que demonstra ser o plano missionário concebido ainda nos primórdios da criação.

Para Timóteo Carriker a existência de toda a Bíblia é a primeira evidência de que Deus tem uma missão, um propósito salvífico para este mundo. Ele não é um Deus abstrato, mas é o Deus que age no nosso meio, que se revela por si mesmo a nós e que tem uma finalidade para sua criação. Se a origem da missão está em Deus - “no princípio criou Deus...” - seu fim está no alcance universal da sua misericórdia e graça – “a graça do Senhor Jesus seja com todos” (Apocalipse 22.21). E este propósito restaurador da missão tem uma dimensão universal. Se Deus é o principal agente ou sujeito da missão, e a restauração o seu conteúdo, então seu alcance abrange a criação toda. Este é o lugar onde a missão se desdobra, o mundo, e o seu processo se realiza na história deste mundo.

Os missionários têm sido constantemente acusados de estarem levando um Deus estrangeiro aos outros povos, quando na verdade, o Deus criador é um Deus universal.

Carriker afirma ainda que o primeiro versículo da Bíblia realça a magnitude da preocupação de Deus e, por imediato, a arena de missões: “os céus e a terra”. O mundo inteiro está dentro da esfera do interesse de Deus. Sua preocupação é primariamente universal. Antes de ser o Deus de Israel ele já era o Deus do Universo. E antes de ser o Deus da Igreja é o Senhor de tudo e de todos. O próprio título “Senhor” traduz a palavra hebraica composta Adonai (Adon = Senhor ou Mestre; ái = tudo ou absoluto). Desse modo, Gn 1.1 revela que, como Senhor de todas as coisas, o alvo de Deus desde a criação é o mundo inteiro. Deus se propõe a restaurar aquilo que criou. Sua missão é uma missão para a criação. Não é por acaso que a revelação escrita que descreve a missão de Deus começa com a criação dos céus e da terra e termina com a restauração dos mesmos num novo céu e nova terra. O homem não só é guardião do seu próximo, mas mordomo da própria criação. Através do julgamento do dilúvio, não só parte da raça humana é salva, mas também parte representativa da criação toda. As leis da aliança detalham as dimensões religiosas, sociais e ecológicas da fé e da obediência do povo de Deus, provendo instruções para o bem-estar de toda a criação e toda a vida, em todas as suas múltiplas dimensões. Os salmos e hinos no Velho Testamento incluem os louvores não só do povo de Deus, mas também da própria natureza; e a era vindoura de salvação só pode incluir a expectativa de restauração não só de Israel e das nações, mas da criação toda (Isaías 43.18-21; 65.17-25).

Segundo J. H. Bavinck, Gn 1.1 constitui-se a base da Grande Comissão dada nos Evangelhos (Mt 28.18-20; Mc 16.15,16; Lc 24.46-49 e Jo 20.21,22) e também no livro histórico neo-testamentário (Atos 1.8). Sem Gn 1.1 não haveria Mt 28.18-20. O Deus/Missionário que enviou (A palavra missão vem do latim missio que significa enviar. Em grego têm-se duas palavras para envio, onde ocorre 210 vezes no Novo Testamento: apostello e pempo) o seu Único Filho, Jesus, para salvar os perdidos é o mesmo que criou os céus e a terra e todos os povos/etnias do mundo. O Deus criador é o mesmo que governa e controla todas as coisas e exige adoração exclusiva de todas as nações. Este é o propósito das missões – levar todos os povos a adorar a Deus.

Portanto, o Deus criador é o Deus de todos os povos e não a divindade particular de um determinado grupo. O Deus criador é o Deus de missões. Ele não abandonou sua criação após tê-la criado, como afirmam erroneamente os deístas. Deus nos amou tanto que nos enviou o desejado das nações: Jesus, o Salvador de todos os povos e tribos. O fato é que desde o início Deus mantinha seus olhos em todo o mundo.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

Bibliografia Sugerida de Teologia de Missões


Durante o 2º semestre de 2012 estaremos lecionando a disciplina Teologia de Missões no Seminário Teológico Cristão do Brasil (STCB). Abaixo, uma breve lista de obras na área de missões indicada aos alunos:

BARRO, Jorge Henrique. Ações Pastorais da Igreja Com a Cidade. Londrina, PR: Editora Descoberta, 2000.

____________________. De Cidade em Cidade – elementos para uma teologia bíblica de missão urbana em Lucas-Atos. Londrina, PR: Editora Descoberta, 2002.

___________________. (org.). O Pastor Urbano. Londrina, PR: Editora Descoberta.

BURNS, Bárbara & AZEVEDO, Décio de & CARMINATI, Paulo Barbero F. Costumes e Culturas. São Paulo, SP: Editora Vida Nova.

CARRIKER, C. Timóteo. O Caminho Missionário de Deus - uma teologia bíblica de missões. Brasília, DF: Editora Palavra, 2005.

___________________. A Visão Missionária na Bíblia – uma história de amor. Viçosa, MG: Editora Ultimato, 2005.

ESCOBAR, Samuel. Desafios da Igreja na América Latina. Viçosa, MG: Editora Ultimato, 1997.

GREENWAY, Roger. Ide e Fazei Discípulos. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 2001.

HESSELGRAVE, David J. A Comunicação Transcultural do Evangelho. São Paulo, SP: Edições Vida Nova, 1995, Vols. 1, 2 e 3.

LIDÓRIO, Ronaldo. Introdução à Antropologia Missionária. São Paulo, SP: Editora Vida Nova, 2011.

___________________. Com a Mão no Arado – pensando a vida, cumprindo a missão. Belo Horizonte, BH: 2006, Editora Betânia.

MACEDO, Aproniano Wilson. Teologia de Missões. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 1998.

MUZIO, Rubens. O DNA da Igreja - comunidades cristãs transformando a nação. Curitiba, PR: Editora Esperança, 2010.

PADILHA, C. René. O Que é Missão Integral? Viçosa, MG: Editora Ultimato, 2009.

PINO, Carlos del. O Evangelho Para O Mundo. Goiânia, GO: Editora Logos, 2004.

PIPER, John. Alegrem-se os Povos - a supremacia de Deus em missões. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã, 2001.

STOTT, John. A Missão Cristã no Mundo Moderno. Viçosa, MG: Editora Ultimato, 2010.

PATE, Larry D. (1987). Missiologia, a missão transcultural da igreja. Miami, Flórida: editora Vida.

WRIGHT, Christopher J. H. A missão do povo de Deus: uma teologia bíblica da missão da igreja. São Paulo, SP: Editora Vida Nova & Instituto Betel Brasileiro, 2012.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Maratona Cristã


Ilustração Missionária:

Em 490 a.C. os gregos haviam vencido os Persas na batalha de Maratona e coube a um mensageiro levar a boa notícia até Atenas. Ele correu 35 km e ao chegar anunciou a vitória e caiu morto.

Cristo morreu há 2.000 anos. Sua morte e ressurreição é a nossa vitória. Ele mandou seus discípulos levarem esta boa notícia ao mundo, nem que custassem as suas próprias vidas. Que não meçam esforços e distâncias. Mas que levem a Palavra de vida eterna.

A “maratona” do cristão já foi conquistada na cruz do Calvário. É necessário que ele seja um mensageiro da boa notícia. Para isso, ele precisa compreender que o Evangelho é uma proposta transcultural.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Missões, a urgência de uma tarefa!


Ilustração Missionária:

Conta-se que quando o presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, morreu na cidade de Dallas, o mundo ficou sabendo do fato em apenas 14 minutos e meio.

Jesus Cristo morreu pelos pecados do mundo inteiro há 2000 anos e o mundo ainda não sabe desse fato. Por quê? Porque os discípulos de Jesus não cumprem o mandamento dado por Ele de levar este fato ao conhecimento do mundo. Milhares de pessoas estão no mundo sem conhecerem o Filho de Deus. Milhares de indivíduos não sabem que Jesus tem poder para salvá-las.

É necessária uma mudança de atitude por parte dos membros da igreja para com as pessoas que não conhecem Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas.

sábado, 21 de julho de 2012

Será que a ajuda virá antes da morte de muitos?


Ilustração Missionária

Durante a Segunda Guerra Mundial, um submarino afundou com 72 pessoas a bordo. Navios de socorro e homens-rã foram enviados para achar e salvar essas pessoas. Os homens trabalhavam com rapidez sabendo que o oxigênio no interior do submarino submerso duraria poucas horas. Finalmente, um homem-rã localizou o submarino e bateu uma mensagem em código Morse do lado de fora do mesmo: “Vocês estão aí?”
A resposta voltou imediatamente cheia de excitação: “Sim, estamos aqui!” O homem-rã bateu mais uma mensagem: “Está chegando ajuda”.
As pessoas que estavam dentro do submarino no fundo do mar, sabendo que o oxigênio logo acabaria, responderam: “Daqui a quanto tempo?”

Vivemos num mundo onde as pessoas estão condenadas à morte por causa do pecado que as separa de Deus. Sabemos que a ajuda está chegando, mas perguntamos: “Quanto tempo vai levar?” A resposta depende de nós e de nossa dedicação a pregação do Evangelho. Será que a ajuda virá antes da morte de muitos?

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Jovem considerado apóstata não obtém licença para abrir negócio próprio

19 jul 2012 Irã

Jovem cristão é impedido de abrir seu próprio negócio por ter registro de “apóstata” em sua ficha de antecedentes criminais.

A identidade do jovem não foi revelada por motivos de segurança.

A fim de abrir uma loja de assistência técnica, era necessário, entre outros documentos, apresentar uma declaração negativa de antecedentes criminais.

No entanto, o jovem foi preso em 2010 sob acusações de ter se convertido ao cristianismo e ter participado de um culto em uma igreja doméstica. Ele foi libertado após pagar a fiança.

Em maio de 2012, depois de fazer todo o processo para abrir sua loja, a Corte Revolucionária recebeu uma carta da polícia afirmando que “Este indivíduo é acusado de apostasia e possui antecedentes criminais desta natureza”.

Fonte: Mohabat News

Tradução: Portas Abertas Brasil

Fonte: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/07/1635912/

terça-feira, 17 de julho de 2012

Missões no Poder do Espírito Santo


Texto Bíblico: At 1.8

Introdução:
a) At 1.8 não é uma mera ordem e sim uma declaração indicativa, explicando que, após serem cheios do Espírito Santo, os discípulos iriam ser levados a testemunhar da sua fé em todos os lugares do mundo.
b) A missão dos apóstolos de difundir o evangelho foi a razão principal para a qual o Espírito Santo os capacitou.
c) Não há missões sem a presença e a ação do Espírito Santo.
d) É impossível haver um convertido sequer sem a transformação operada pelo Espírito Santo.
e) Charles Spurgeon dizia que é mais fácil ensinar um leão a ser vegetariano do que converter um coração sem a obra regeneradora do Espírito Santo.

1. “mas recebereis poder”:
a) É impossível para a Igreja fazer missões sem o poder do Espírito Santo.
b) Poder é o revestimento do Espírito Santo.
c) Os apóstolos já haviam experimentado o poder do Espírito Santo de salvar, guiar, ensinar e realizar milagres. Em breve eles receberiam a presença habitadora do Espírito Santo e uma nova dimensão de poder para testemunhar.
d) Poder que dá coragem: “Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus.” (At 4.31).
e) O verbo “recebereis” está na voz passiva e no plural indicando que este poder vem de Deus e é para todos os crentes.
f) Trata-se do mesmo poder que estava em Jesus.

2. “ao descer sobre vós o Espírito Santo”:
a) Jesus prometeu enviar o Espírito Santo, o outro consolador, ao subir ao céu.
b) O Espírito Santo é a terceira Pessoa da Trindade, ou seja, Ele é Deus.
c) Havia abismos tenebrosos nos relacionamentos entre judeus e samaritanos. Eles se consideravam inimigos irreconciliáveis.
d) Precisamos do poder do Espírito Santo para perdoarmos uns aos outros.
e) A vida cheia do Espírito Santo (At 2.42-47):
• Depois que a igreja ficou cheia do Espírito Santo sua vida refletiu isso e o mundo foi impactado.
• A plenitude do Espírito foi percebida através da firmeza na doutrina dos apóstolos, do engajamento na oração, da comunhão fraternal, da adoração fervorosa e do testemunho irrepreensível.
• Uma igreja cheia do Espírito tem bom testemunho dos de dentro e também dos de fora.
f) Ilustração: O Menino Paulinho.

3. “e sereis minhas testemunhas”:
a) Testemunhar é falar daquilo viu e ouviu.
b) Testemunhas: Pessoas que contam a verdade sobre Jesus.
c) Testemunhar é sofrer e padecer por amor a Cristo.
d) A palavra “testemunha” significa “pessoa que dá a vida pela sua fé”, pois esse foi o preço comumente pago pelo testemunho.
e) Cada cristão é um missionário:
• O médico cristão é missionário de Cristo no hospital.
• O advogado é missionário de Cristo no seu escritório.
• O juiz é missionário de Cristo no tribunal.
• O comerciante é portador de boas novas atrás do balcão.
• O negociante é veículo da graça de Deus por onde anda.
• O estudante é missionário na escola.
• A empregada doméstica resplandece a luz de Cristo na casa onde trabalha.
f) Falsa ideia missionária: Três opções diante de missões (fazer algo, ficar olhando ou fugir).

4. “tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra”:
a) Jerusalém:
• É o trabalho missionário em nossos lares, vizinhança, escola, faculdade, trabalho, etc.
• Este campo é muito vasto. Você já evangelizou alguém da sua família? Ou seu colega de faculdade ou trabalho? O seu vizinho?
• Missões locais (Itajaí).
b) Judeia:
• A região na qual Jerusalém se localizava.
• Missões regionais (Santa Catarina).
c) Samaria:
• A região imediatamente ao norte da Judeia.
• Missões Nacionais (Piauí).
d) Confins da Terra:
• Missões Mundiais (Peru).
e) O Evangelho espalhado: Jerusalém (At 2-7), Judeia e Samaria (At 8-12) e confins da Terra (At 13-28).

5. “tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra”.
a) O trabalho dos discípulos não deveria primeiro ser iniciado e completado em um lugar para depois partirem para outro.
b) Atos 1.8 diz que o trabalho missionário deve ser feito “ao mesmo tempo” em cada um dos quatro lugares.
c) Essa “simultaneidade” está expressa nas palavras “tanto em”, “como em”, e “até aos”.

Conclusão:
a) O cumprimento de At 1.8 é At 8.1.
b) Não haverá esperança para o mundo se todos os crentes não se dispuserem a testemunhar.
c) Cada crente deve fazer do seu lar e do seu trabalho uma trincheira do Reino de Deus.
d) Não podemos esconder nossa luz.
e) Não podemos ser discípulos secretos.
f) Cada crente deve ser um ganhador de almas.
g) Cada crente é um missionário. Essa é a nossa vocação.
h) Falsa ideia missionária: Três opções diante de missões (orar, ofertar ou ir).
i) O que eu devo fazer por missões?
• Devo pregar fiel e incansavelmente o Evangelho para a glória de Deus, para a edificação da igreja e para a salvação dos perdidos: “Se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois sobre mim pesa essa obrigação; porque ai de mim se não pregar o evangelho!” (1Co 9.16)
• Devo orar para que o Senhor da seara levante trabalhadores para a sua seara: “E, então, se dirigiu a seus discípulos: A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara” (Mt 9.37,38).
• Devo ofertar liberadamente para o sustento da obra missionária: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2Co 9.7).
j) Ilustração: O jovem que queria ser rico.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

A Salvação do Mundo em Nossas Mãos


Mt 28.19-20

Introdução:
a) Jesus completou sua obra na cruz. Prevaleceu contra o diabo e levou sobre si os nossos pecados.
b) Agora, Jesus - o Missionário por Excelência comissiona sua igreja a levar essa mensagem ao mundo inteiro.
c) O projeto de Deus é o evangelho todo, por toda a igreja, a toda criatura, em todo o mundo.
d) Pergunta: A salvação do mundo está em nossas mãos?
e) O tema será dividido em três partes: “A salvação”, “do mundo” e “em nossas mãos”.

1. A Dimensão de Missões – o Mundo (“do Mundo”):
a) Estatísticas:
 Dos 24.000 povos no mundo, 8.000 ainda não foram alcançados com o Evangelho.
 Dos 251 povos indígenas brasileiros, 118 ainda não têm missionários.
 Das 7.158 línguas do mundo, a Bíblia ainda não foi traduzida para 4.000 delas.
 Das 600.000 cidades e vilas na Índia, em 500.000 ainda não tem obreiros cristãos.
 Na China ainda existem 500.000.000 de pessoas que nunca ouviram falar de Jesus.
 Dentre as 270.000 igrejas existentes no Brasil menos de 400 delas possuem um missionário trabalhando com esses povos não alcançados (incluindo nossas tribos indígenas).
 Acredita-se que morrem 85.000 diariamente no mundo sem nunca terem ouvido falar da salvação em Jesus.
 Menos de 1% dos recursos da Igreja brasileira são investidos na obra transcultural.
 A média de investimento do crente brasileiro em missões é de apenas R$ 1,30 por ano.
 Pra se ter uma ideia, se investe mais em chicletes e balas do que missões.
b) Deus é o Deus de todas as nações, povos, etnias e línguas.
c) O Evangelho deve ser difundido entre todas as nações, e toda tribo e idioma devem escutá-lo.
d) Não nos atrevamos a descansar antes que isto seja realizado.
e) O evangelho de Cristo é o único remédio para a doença do homem.
f) O pecado é uma doença mortal.
g) O pecado é pior do que a pobreza.
h) É mais grave do que o sofrimento.
i) É mais dramático do que a própria morte.
j) Esses males todos, embora sejam tão devastadores, não podem afastar o homem de Deus: “Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus” (Rm 3.23, NTLH).
k) Não há esperança para o mundo fora do evangelho.
l) Não há salvação para o homem fora de Jesus.
m) As religiões se multiplicam, mas a religião não pode levar o homem a Deus.
n) As filosofias humanas discutem as questões da vida, mas não têm respostas que satisfazem a alma.
o) Somente Jesus salva.

2. A Mensagem de Missões – o Evangelho (“a Salvação”):
a) A morte e ressurreição de Cristo é a essência do Evangelho.
b) Devemos pregar arrependimento e expiação dos pecados.
c) O missionário não deve pregar os seus próprios pensamentos, mas os pensamentos de Deus.
d) O missionário não deve confiar em si mesmo, mas no Espírito Santo.
e) O missionário tem uma mensagem do coração de Deus, revelada e escrita na Bíblia.
f) Não podemos nos calar nem nos omitir.
g) Se o ímpio morrer na sua impiedade, sem ouvir o evangelho, Deus vai requerer de nós, o sangue desse ímpio.
h) Jesus Cristo, o Filho de Deus, morreu na cruz, pelos nossos pecados, há dois mil anos e, ainda, quase a metade do mundo, não sabe dessa boa notícia.
i) O que nos falta não é comissionamento, mas obediência.
j) O que nos falta não é método, mas disposição.
k) Encontramos o Salvador e não proclamamos isso aos pecadores.
l) Precisamos erguer nossos olhos e ver os campos brancos para a ceifa.
m) Precisamos estar comprometidos com missões, e não apenas envolvidos.
n) Ilustração: O Porco e a Galinha.

3. O Método de Missões – Pregação (“em Nossas Mãos”):
a) Paulo diz em 1Co 1.21: “Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação.”
b) Paulo também diz em Rm 10.17: “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo.”
c) A nossa missão é pregar as boas novas de grande alegria, a qual destina-se a todos.
d) O mesmo Deus que nos alcançou com a salvação, comissiona-nos a proclamar a salvação pela graça mediante a fé em Cristo.
e) Todo alcançado é um enviado.
f) Deus nos salvou do mundo e nos envia de volta ao mundo, como embaixadores do seu reino.
g) Jesus disse para seus discípulos que assim como o Pai o havia enviado, também os enviava ao mundo.
h) Jesus não trovejou do céu palavras de salvação; ele desceu até nós.
i) Não são os pecadores que vêm à igreja, mas é a igreja que vai aos pecadores.
j) Deus tirou a igreja do mundo (no sentido ético) e a enviou de volta ao mundo (no sentido geográfico).
k) Não podemos nos esconder, confortavelmente, dentro dos nossos templos.
l) Precisamos sair e ir lá fora, onde os pecadores estão.
m) Não evangelizar é um pecado de negligência e omissão.
n) Na verdade, é uma conspiração contra uma ordem expressa de Deus.
o) Como evangelizar? Rm 3.23; 6.23; 5.8 e 10.9.

Conclusão:
a) O mundo precisa de Cristo; precisa do evangelho.
b) Chegou a hora da igreja se levantar, no poder do Espírito Santo e proclamar que Cristo é o Pão do céu para os famintos, a Água viva para os sedentos e a verdadeira Paz para os aflitos.
c) Jesus é o Salvador do mundo!
d) Uma coisa me preocupa muito: o fato de que cada crente prestará contas se e de como pregou o Evangelho aos perdidos. Isso me leva a crer que quem não prega o Evangelho pode estar indo para o inferno.
e) Ilustração: “A Conferência de Ratos”.

terça-feira, 10 de julho de 2012

domingo, 8 de julho de 2012

Conheça o testemunho de Jum Acidre, uma viúva filipina

06 jul 2012

Jum Acidre precisa de seu encorajamento e orações, leia a história abaixo e saiba mais sobre o sofrimento dessa irmã.

Um homem, não identificado, atirou em Mário seis vezes em sua casa em Jolo, Sulu, no sul das Filipinas, cerca de sete meses atrás. Mário lutou por sua vida, em um hospital, algumas horas antes de morrer. Sua esposa Jum estava em seu quarto quando isso aconteceu.

Durante as investigações da polícia, ela mencionou dois homens que vendiam amuletos para Mário na manhã de 27 de agosto de 2011, apenas algumas horas antes dele ter sido baleado, às nove horas da noite. Ela ouviu estes homens dizendo que aqueles amuletos protegeriam Mário de “balas”.

Apenas há alguns dias antes de seu assassinato, Mário tinha compartilhado sua fé com pais muçulmanos na escola. Ele pedira oração pela proteção de Deus sobre si e sua família. Após sua morte, vários obreiros cristãos em Jolo receberam ameaças de morte e abdução. Ninguém foi preso pelo assassinato de Mário.

Recentemente, Jum veio a um seminário organizado por Portas Abertas, em cinco de maio, para 21 mulheres sozinhas, algumas delas abandonadas por seus maridos muçulmanos por elas terem se convertido ao cristianismo.

“Eu sinto a falta de Mário”, disse Jum, à Portas Abertas. “Eu sinto falta de como ele trazia água para mim, lavava a roupa quando eu estava cansada... Quando eu ficava doente, Mario cuidava de mim. Ele era um bom marido e bom esposo”.

Jum confidenciou que não estava lendo a Bíblia, porque a lembrava de Mário, pois ele é quem fazia isso para ela. Cada vez que tentava ler, irrompia em lágrimas.

A viúva decidiu deixar Jolo e ficar com sua irmã na Cidade de Zamboanga, após notar que alguns “homens de aparência suspeita” estavam rondando a sua casa.

Em fevereiro, Jum voltou a Jolo para negociar com um comprador que tinha expressado interesse por sua casa. Entretanto, o pretendente recuou porque, de acordo com os vizinhos, o atirador de Mário voltou à casa procurando por Jum.

“Houve noites em que tive calafrios”, compartilhou Jum, descrevendo as semanas após a morte de Mário. “Algumas vezes, não conseguia dormir porque senti que alguém estava rondando a casa”.

Com a ajuda de Portas Abertas, Jum abriu um negócio de venda de carvão. Sua filha de 26 anos, Misba Almidi, está lhe ajudando. Elas planejam se mudar permanentemente para uma casa própria na Cidade de Zamboanga. Jum quer fazer o treinamento de líderes de Portas Abertas, envolver-se com o ministério da igreja e alcançar seus parentes não cristãos.

Uma grande ilha no arquipélago de Sulu, ao sul, Jolo é abrigo para vários membros da Abu Sayyaf, um grupo separatista ligado à Al Qaeda, que opera em Basilan e Cidade Zamboanga, Mindanau. Conflitos armados que irrompem em Jolo, entre rebeldes muçulmanos e militares do governo, são comuns, atrapalhando o comércio e a vida na comunidade. Antes de sua morte, espalhou-se um boato de que Mário seria um trunfo militar do governo, disfarçado de pastor.

Pedidos de Oração

Para que Deus fortaleça a fé de Jum, mesmo com a dor de ter perdido seu marido.
Para que o negócio de carvão, de Jum, prospere e possa prover de forma suficiente para satisfazer suas necessidades.
Para que Jum tenha oportunidades de realizar seus planos de compartilhar a salvação de Deus com seus parentes.

Acesse nosso catálogo de produtos e saiba como doar através de nossas campanhas.

Fonte: Portas Abertas
Tradução: Getúlio Cidade
Link: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/07/1625466/

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Conheça o testemunho de Tara, uma cristã bengali

05 jul 2012 Bangladesh

A Portas Abertas encontrou Tara, 30, em uma localidade não revelada no dia 2 de fevereiro, quatro dias após ser muito agredida por mulheres muçulmanas no distrito de Kushtia, a oeste de Bangladesh, a 180 quilômetros da Cidade de Dhaka.

“Elas me bateram como se eu fosse um animal. Eu gritei. Então, alguém me atingiu na testa e caí inconsciente. Quando acordei, encontrei-me deitada em um leito de hospital”, compartilhou Tara a uma colaboradora da Portas Abertas. Inicialmente, Tara se recusara a receber visitas por temer sofrer mais perseguição.

O marido de Tara, Abdul Rashid, 40, não estava perto quando ela foi agredida. Entretanto, seus dois filhos Shakkhor, 10, e Tuhin, 7, testemunharam o incidente que os deixou traumatizados.

“Quando voltei para casa, achei minha esposa inconsciente e sangrando de um ferimento na testa”, disse Rashid. “Nossos filhos estavam chorando. Eu não soube a história completa até minha esposa recobrar a consciência”.

“Ouvi meus vizinhos falarem que iriam nos agredir mais para evitar que pessoas do vilarejo se tornassem cristãs”, continuou. “Não estou preocupado comigo mesmo, mas temo por minha esposa e filhos”.

Nascido e criado em uma família muçulmana, Rashid era um estudante universitário quando ouviu sobre Cristo através de um de seus amigos mais próximos. Por muitos anos, ele estudou o injil (Bíblia) e outros livros religiosos, que aumentaram sua curiosidade sobre o cristianismo. Em 1º de novembro de 2011, Rashid decidiu colocar sua fé completamente em Jesus Cristo, tornando-se Seu seguidor.

Além de sua principal ocupação como vendedor de peixe, Rashid queria compartilhar o mesmo perdão e esperança que experimentara em Cristo com outras pessoas. Ele viu esta oportunidade no programa de alfabetização da Portas Abertas. Então, participou dos três dias de treinamento para alfabetizadores em 18 de janeiro e voltou para Kushtia com uma expectativa no coração, trazendo consigo seu novo material de ensino. No dia seguinte, ele abriu um curso de alfabetização em sua casa. Embora a turma fosse feita principalmente para trabalhadores rurais, Rashid recebeu também muçulmanos que queriam aprender a ler e a escrever.

“Ele distribuiu os livros escolares entre seus alunos”, relatou a colaboradora da Portas Abertas, “mas, após dois ou três dias, alguns dos alunos muçulmanos notaram que os livros possuíam conteúdo cristão. Logo espalhou-se a notícia no vilarejo de que Rashid estava usando suas aulas de alfabetização para converter muçulmanos”.

Na noite de 29 de janeiro, enquanto Rashid estava trabalhando, um grupo de mulheres muçulmanas veio ao encontro de Tara para confirmar se ela e seu esposo eram cristãos ou não. De acordo com Tara, as mulheres eram ríspidas em seus questionamentos e a agrediram verbalmente. Tara admitiu que teria respondido às provocações, o que fez com que as mulheres muçulmanas começassem a espancá-la severamente.

A realidade dos ex-muçulmanos

O que aconteceu a Tara é uma realidade para os cristãos de origem muçulmana de Bangladesh. A constituição do país assegura proteção à liberdade religiosa, mas a discriminação e o assédio continuam contra as minorias, quer sejam étnicas ou religiosas. Tais incidentes raramente são relatados pela mídia local ou nacional.

Embora novos convertidos a Isa (Jesus) experimentem diferentes formas de perseguição em Bangladesh, “é incomum que mulheres muçulmanas sejam as principais agressoras”, disse o contato que se encontrou com Tara. “As agressoras de Tara eram donas de casa como ela”, observou. A Portas Abertas ajudou a prover a hospitalização de Tara e custeou as despesas com o tratamento médico.

Dois dias após o ataque a Tara, os muçulmanos do vilarejo pediram uma “reunião de reconciliação” com Rashid. Quando ele confirmou que tinha se tornado cristão, a maioria dos muçulmanos presentes saiu da reunião, sem chegar a nenhuma resolução.

“Minha esposa me disse para apresentar uma queixa na delegacia de polícia, mas estou hesitante no momento”, disse Rashid. “Estou orando seriamente para que Deus nos ajude a carregar esta cruz. Tenho fé de que as tensões irão se acalmar e que as pessoas irão abrir suas mentes”.

A família ainda se encontra em situação precária. Rashid parou com as aulas de alfabetização em sua casa para cuidar de Tara. O casal também está preocupado com o ensino dos filhos que pode ser interrompido a qualquer momento. “A despeito do que aconteceu, Rashid parece inabalável em sua fé. De fato, ele está procurando um local seguro onde possa continuar suas aulas de alfabetização”, relatou a visitante da Portas Abertas.

O ministério de Portas Abertas em Bangladesh encoraja os cristãos de todo o mundo a orar pela cura completa de Tara e para que a provisão e proteção de Deus cerquem Rashid e sua família nas semanas e meses que virão.

Acesse nosso catálogo de produtos e saiba como doar através de nossas campanhas.

Fonte: Portas Abertas
Tradução: Getúlio Cidade

LINK: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/07/1624117/

terça-feira, 3 de julho de 2012

5ª EXPEDIÇÃO MISSIONÁRIA

Graça e paz da parte daquele que nos chamou:

Aos amigos, intercessores e colaboradores, nosso relatório do mês de Julho.

Louvo a Deus por mais esta carta que envio a vocês, meus amigos. Espero encontrá-los em saúde e alegria no Senhor.

Nos últimos tempos, temos ouvido muitas histórias de pessoas que tem se desanimado com a igreja e tem se afastado dela. Tem sido um tempo de muita luta para todos nós, mas devemos nos apegar na palavra de I Coríntios 10.12: “Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!”.
Apesar de muitas vezes não percebermos, Deus tem nos suprido e nos sustentado, e em meio às provações é que nossa fé tem sido provada, e a nossa esperança é a de sempre estarmos aprovados e firmes para testemunhar de tudo aquilo que Deus tem feito em nossas vidas. I Tessalonicenses 2.4: ”Mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.”

- Dia 5 de julho, iniciarei mais uma viagem para a 5º expedição missionária ao sertão do Piauí, lembrando que tenho participado de quatro delas, estando ausente apenas em uma por motivo de força maior. A cidade que visitaremos será uma das piores que já visitamos com relação à pobreza, mas teremos um caminhão de alimentos para doarmos às famílias, fruto do envio de uma igreja de São Paulo, Além de 900 Bíblias e mais de 2.500 peças de roupas.

Motivos de Oração:
- Pela nossa viagem, serão mais de 6.000 Km (ida e volta) e iremos de carro.
- Por nossa saúde durante a expedição.
- Pelo suprimento de água para todos os expedicionários, desta vez serão quase 60 pessoas, e fui convocado para liderar uma das equipes.
- Pelas necessidades de nossas famílias que ficarão em casa.
- Por sabedoria para liderar e para falar de Jesus em meio à idolatria do povo.

Alguns irmãos já tem apoiado o Projeto África 2014 com o carnê de contribuição mensal, o que tem nos dado uma certa segurança a respeito da compra das passagens. Deus os recompense!

Que Deus abençoe a todos nós!
Paulo Sergio Wegner

www.paulowegner.blogspot.com

Caixa Econômica Federal
Agência: 1001
Conta Poupança: 9491-9
OP: 013

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Ataques simultâneos matam 15 membros em igrejas no Quênia

02 jul 2012 Quênia

Quinze membros de igreja foram mortos e muitos feridos, em ataques a igrejas na cidade queniana de Garissa, perto da Somália, segundo relato da Cruz Vermelha do Quênia.

Segundo a polícia local, “Homens armados e utilizando granadas atacaram a duas igrejas do interior Africano”. O clima de hostilidade na região fronteiriça do Quênia tem sido de muita tensão e o grupo Al-Shabab e seus simpatizantes parecem ser os responsáveis por uma sequência de ataques com granadas e explosões de bombas, em todo o país – “embora nunca tenham admitido a realização de tal atentado em território queniano”, disse o correspondente da BBC Kevin Mwachiro, em Nairobi.

Ndolo da agência de notícias AFP afirma “abominamos estes atos de violência". O Conselho Supremo do Quênia também condenou os ataques às igrejas, dizendo que "todos os lugares de culto devem ser respeitados", segundo relatos da AFP.

A BBC declarou que os ataques aconteceram durante os sermões matinais nas igrejas. Cerca de 40 membros ficaram feridos, vários em estado grave. Homens armados dispararam tiros do lado de fora de uma das igrejas, e granadas foram jogadas dentro. Como a congregação entrou em pânico, muitos correram para escapar e ao fazer isto foram baleados do lado de fora. Pelo menos 10 pessoas morreram na hora.

Simultaneamente, uma igreja católica sofreu o mesmo tipo de ataque: duas granadas foram atiradas dentro da igreja. Testemunhas disseram à AFP que os corpos estavam espalhados nas igrejas e que estas ficaram manchadas de sangue; dezenas de feridos foram levados às pressas para o hospital. “É uma cena terrível, ver os corpos estendidos, dentro das igrejas”, disse o chefe de polícia Leo Nyongesa. “Você pode imaginar o que significa isso para uma cidade tão pequena?” disse Ndolo.

Garissa é a capital do Nordeste da província e encontra-se a 90 quilômetros da fronteira com a Somália. “É perto do campo de refugiados de Dadaab, onde homens armados sequestraram quatro trabalhadores e mataram um motorista nesta sexta-feira. Esses dois incidentes revelam a ineficácia das forças de segurança do Quênia”, disse o correspondente da BBC. “As tropas deveriam cuidar da segurança das fronteiras do Quênia, mas isso não parece estar acontecendo”, acrescenta.

Pedidos de oração
• Ore para que as autoridades quenianas consigam repelir as ações de Al-Shabab e seus simpatizantes e restabelecerem a segurança nas fronteiras do país.

• Peça a Deus que dê sabedoria às lideranças cristãs, da região, para lidar com a situação de medo e revolta que toma conta da Igreja.

• Ore pelas famílias que perderam seus entes queridos, para que ao invés do ódio e sentimento de vingança, eles possam mostrar o perdão e amor de Deus a quem lhes feriu tão fortemente.

Assista ao DVD As Listras da Zebra e conheça a realidade de muitos cristãos que vivem em países da África.

Fonte: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/07/1619609/

domingo, 1 de julho de 2012

Piauí é o estado mais católico do Brasil


Piauí é o estado mais católico do Brasil, com 85,1% da população.

Pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre religião dos brasileiros a partir dos dados do Censo 2010, divulgada nesta sexta-feira, informa que o maior percentual de católicos do país está no Piauí, com 85,1% da população do estado sendo católica.

Além disso, a população católica no país tem grande proporção de pessoas mais velhas (enquanto os evangélicos têm mais jovens).

No entanto, olhando os dados em todo o país, a população católica vem caindo muito, com grande crescimento dos evangélicos.

O Nordeste é a região com maior proporção de católicos, mas mesmo assim também no Nordeste está havendo crescimento de evangélicos.

OREMOS, OFERTEMOS E EVANGELIZEMOS O ESTADO DO PIAUÍ!

Quem é o responsável?


Conta-se que numa aldeia, cortada por um rio turbulento, surgiu um alvoroço. "Socorro um menino está morrendo no rio!..."
As mães correndo em direção à voz, cheias de temores, pensavam:
"Será meu filho?
"Um rapaz, ótimo nadador, amarrou a corda na cintura e jogando a outra extremidade em direção a multidão, gritou:
"Vou buscá-lo. Segurem a corda"
Mergulhando nas águas revoltas do rio, nadou em direção à criança, que já desaparecia levada pela correnteza.
O povo observava apavorado.
Quando, afinal, o jovem conseguiu agarrar a criança nos braços, houve um grande alivio por parte da multidão.
"Puxem a corda".
Gritou o herói exausto.
Para horror de todos, viram que ninguém havia segurado a corda.
Cada um pensou que o outro iria fazê-lo.
Resultado: duas vidas pereceram nas águas turbulentas daquele rio.
Assim é o trabalho missionário: alguém precisa levar a salvação.
O missionário pode se jogar neste rio turbulento e se expor a perigos e dificuldades, mas se não houver quem segure a corda, o resgate dos perdidos será muito difícil. Não importa se estamos dentro do rio, ou se estamos segurando a corda, importa que façamos bem aquilo que fomos chamados a fazer."

(www.juvep.com.br)

Igreja síria permanece firme em meio à crise

01 jul 2012 Síria

As revoltas que derrubaram ditadores em alguns países do mundo árabe, conhecidas como “primavera árabe”, também chegaram à Síria, onde uma parcela da população deseja ver a queda do governo de Bashar al Assad. Desde então o país se encontra em um conflito armado entre governo e força de oposção.

Carros, táxis e ônibus enchem as ruas de Damasco. As lojas estão abertas, como de costume e você vê as pessoas andando por toda parte. A vida continua como de costume na capital da Síria.

Mas à noite você pode ouvir o bombardeio dos subúrbios da cidade. Em vários pontos da cidade, estradas estão bloqueadas por causa das bombas que explodiram lá nos últimos meses. A situação na Síria, até mesmo na cidade relativamente tranquila de Damasco, está longe do normal.

Uma equipe de colaboradores da Portas Abertas pôde visitar este país que, de acordo com o presidente Bashar al Assad, está em guerra civil. Os confrontos no país já duram 16 meses, sem nenhum sinal possível de paz. A violência está paralisando a economia.

Em todos os lugares, há sírios que perderam seus empregos, essa realidade não é diferente entre os cristãos do país.

A crise tem aproximado os cristãos de Deus, essa é a convicção de vários líderes cristãos do país. Eles compartilharam isso quando os colaboradores da Portas Abertas os visitaram. "Foi muito encorajador ver como eles estão fortes, como eles confiam de que Deus vai usar a crise atual para a expansão do Seu Reino", disse um dos colaboradores.

O pastor de uma igreja protestante disse: "Minha esposa e eu sentimos que é o momento certo para estarmos aqui. Podemos servir de apoio para pessoas e famílias. Também para a Igreja é uma grande oportunidade para se tornar mais atuante e presente na sociedade. Vemos muitos corações abertos para receber o evangelho.

"Nós sabemos que este é um momento especial para a igreja e acreditamos que isso vai contribuir para a salvação de muitas pessoas em nossa cidade e em em todo o país", concluiu o pastor.

Ao visitar outra igreja, outro pastor conpartilhou que, “antes que a situação ficasse tão extrema como está agora, vimos cristãos fragmentados e com muito medo. Mas agora, após as tragédias, estamos nos reunindo para orar com mais frequência e intensidade. Isso é encorajador para nós”.

"Ele dá um exemplo de como alguns membros da igreja agem: "Ontem, um membro da igreja foi ao Banco comercial. Ficou um tempo na fila do Banco. Ele orou em seu coração pedindo a Deus estratégia sobre como alcançar as pessoas que estavam ali e, em seguida, sentiu que deveria apenas dar um passo de fé e compartilhar o evangelho.

Ele deu um passo à frente, segurou o evangelho para o alto e disse: "Este é o evangelho, a palavra de Deus e vai trazer-lhes a vida eterna. Quem quer lê-lo? Se você quiser um, eu consigo pra você". Ele poderia dar o evangelho a um número considerável de pessoas, já que levara cerca de vinte exemplares.

Nem todos os cristãos reagem assim diante da crise. Nas igrejas também ouvi sobre cristãos que deixaram o país ou que estão pensando em deixá-lo. "Um bispo que conhecemos disse que ele havia guardado as coisas mais valiosas de sua igreja em um lugar seguro. Mas eu estou vivendo aqui, não quero sair. Quando a violência chega à nossa cidade, os membros da minha igreja podem até fugir, mas espero que eu possa ter coragem para ficar".

Pedidos de oração:

• Louve a Deus pela unidade crescente entre as igrejas em meio à crise no país;

• Peça a Deus que Ele use essa situação para a expansão do seu Reino no país;

• Ore para que a Igreja cresça mais forte;

• Peça a Deus pelo estabelecimento da paz na Síria;

• Ore para que o resto do mundo faça algo que colabore de modo efetivo para o fim dos conflitos na Síria.

Leia o livro CRISTÃOS SECRETOS e saiba mais, sobre o cotidiano de cristãos que vivem em países de maioria muçulmana.

Fonte: Portas Abertas
Tradução: Marcelo Peixoto

Link: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2012/07/1617925/

Educando para a glória de Deus