Pular para o conteúdo principal

Deus salve o Piauí!


Sou de naturalidade brasiliense, porém, sou filho de piauienses. Confesso que amo muito Brasília, apesar de tantos criticarem a política de maneira que acusam a nossa cidade de tantas falcatruas e corrupções. Todavia, a grande maioria dos políticos que vem trabalhar aqui é dos outros Estados. Ou seja, a corrupção política está generalizada em nosso país. Mas não quero aqui falar sobre política, porém, sobre evangelização. Quero falar sobre o amor que tenho por uma terra seca e sedenta de Deus: PIAUÍ. O Piauí é um Estado que tem uma população de 3.118.360 habitantes, sendo 2.653.135 de católicos (85,08% da população), 302.982 são considerados evangélicos (9,72% da população), 9.840 espíritas (0,32% da população), 1.915 praticantes da umbanda e candomblé (0,06% da população), 41.372 religiões indefinidas (1,33% da população), 106.722 sem religião (3,42% da população) e 2.393 não sabe qual religião pertence (0,08%). Segundo informações, o Piauí é o Estado mais católico do Brasil e o segundo do mundo, perdendo somente para o Estado do Vaticano em proporção. No sertão (semi-árido) do Piauí existem cidades com 4,5 ou um pouco mais de habitantes onde o número de cristãos evangélicos não chega a 0,01% da população. Ou seja, o Piauí é o Estado menos evangelizado do Brasil (em segundo lugar está o Estado do Maranhão).

Confesso que diante de tantas igrejas e pastores que há em minha cidade (que é bom, desde que as igrejas sejam saudáveis e os pastores fiéis ao Evangelho), procuro entender o porquê dos nossos olhos não observarem as necessidades dos nossos vizinhos que clamam por salvação. Talvez seja por desinformação acerca desta realidade, comodismo, frieza espiritual ou por falta de amor a Deus e aos perdidos. Entretanto, Deus deseja a salvação dos piauienses e Ele cobrará de nós a negligência que tanto persiste em nossas vidas no que refere à evangelização do Piauí. Talvez, o maior problema da nossa cidade (ou Estado) não seja a corrupção política, mas a falta de conversão da nossa parte. Sim, falta de arrependimento de pecados, de confissão de Jesus como Senhor em nossa boca e fé que Deus ressuscitou Jesus dentre os mortos (Rm 10.9). Pois a principal evidência de que alguém dentro da igreja ainda não se converteu é quando esse alguém ainda não tem visão missionária.



Viajo todo ano ao Piauí. Às vezes, vou duas vezes à terra que tanto amo e desejo ver evangelizada. No ano de 2013, pretendo ir duas vezes: uma em Bonfim do Piauí e outra em Betânia do Piauí (cidade onde será realizada a 7ª Expedição Missionária “Água Viva Para o Sertão”, onde tem 6.015 habitantes, sendo 5.718 católicos e 127 evangélicos. Para mais informações sobre o projeto acesse: www.aguavivaparaosertao.com.br).

Portanto, quero aqui desafiar o leitor (a) a envolver-se na evangelização do Piauí. Sugiro algumas atitudes que o leitor (a) deve tomar:

1º - Orar para que Deus levante mais missionários para evangelizar o Piauí.

2º - Divulgar a realidade da carência de evangelização do Piauí.

3º - Contribuir com o envio e o sustento de missionários ao Piauí (ou com missionários que já estão lá).

4º - Contribuir com o envio de Bíblias, folhetos e literatura cristã em geral.

5º - Participar de Expedições Missionárias no Piauí.

6º - Colaborar na plantação de igrejas saudáveis no Piauí. Etc.

Portanto, se você também entende na Bíblia o mandamento da evangelização e sente o chamado para evangelizar o Piauí, junte-se a nós! Nós queremos formar grupos de oração, levantar contribuidores, evangelistas, plantadores de igrejas, promotores de missões, etc.

Envolva-se nesta tão nobre missão.

O meu clamor é: Deus salve o Piauí!

Contatos:
E-mail: lucianolandim@hotmail.com
Telefones: (61) 8460-9254 / 8176-6400

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”