Pular para o conteúdo principal

PRINCÍPIOS DE DEUS PARA UMA FAMÍLIA FELIZ

Introdução:

O que é a família? Qual é o plano de Deus para a família? Quais são os inimigos que desestruturam a família? Quais são os princípios de Deus para se ter uma família feliz? O apóstolo Paulo em sua carta ao Colossenses, nos fala de maneira clara e direta sobre alguns princípios divinos para uma família feliz. Paulo nos mostra o plano de Deus para os esposos, esposas, pais e filhos, de modo que centraliza a família no projeto de Deus. Família é criação de Deus.

Ataques que desestruturam a família:

Alguns ataques que desestruturam a família são: alcoolismo, drogas, desemprego, preconceito, adultério, homossexualismo, aborto, divórcio, abuso sexual, desrespeito, incompreensão, falta de comunicação, filhos rebeldes, pais incompreensíveis e irresponsáveis, filhos querendo tomar o lugar dos pais, infanticídios, parricídios, matricídios, etc.
Perante essas problemáticas, surgem as perguntas: O que fazer e como fazer para proteger a família diante desses ataques que a desestruturam? Qual é o plano de Deus para um lar ditoso? Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, nos dá as respostas. Vejamos:

A esposa deve ser submissa ao marido:

Em Colossenses 3.18 diz: “Esposas, sede submissas ao próprio marido, como convém no Senhor”. Aqui, o apóstolo não está inferiorizando a mulher como se a mesma não tivesse valor ou dignidade. Mas, mostrando o papel fundamental, de valor inestimável e diferencial que ela exerce na família. Homem e mulher têm papéis distintos no casamento. O fato é que a mulher deve ser submissa ao seu próprio marido. Não compete a ela tentar dominar o homem (Gn 3.16). Isto não quer dizer que a mulher seja inferior. Entretanto, a mulher foi criada para ser uma auxiliadora idônea do homem (Gn 2.18). Ela não é o cabeça da família, mas o homem (Ef 5.23). Ao submeter-se ao homem a mulher exerce uma missão sob a missão do marido, isto é, sujeitando-se ao marido com alegria e espontaneidade e compreendendo que este é o princípio divino para sua felicidade e liberdade.

O esposo deve amar a esposa e não pode tratá-la com amargura:

Toda mulher não terá problema de submeter-se ao marido amoroso. Paulo nos diz em Colossenses 3.19: “Maridos, amai vossa esposa e não a trateis com amargura”. Em Efésios 5.25 o apóstolo também diz: “Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela”. Isto significa que o amor do marido pela esposa deve ser sacrificial, como o amor de Cristo pela igreja. O amor de Jesus pelo seu povo é perseverante e prático, não em meras palavras, mas em sacrifícios de amor. Assim também deve ser o amor do homem pela mulher. Observe que aqui o amor é entre um homem e uma mulher, casados.
É papel também do esposo cuidar e suprir emocional (não a tratando com amargura, mas com atenção, respeito, sensibilidade e fidelidade) e fisicamente as necessidades da mulher de maneira servil e não tirana, compreendendo que sua felicidade está em obedecer este princípio bíblico.

Os filhos devem ser obedientes aos pais em tudo:

Colossenses 3.20 afirma: “Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor”. Em Êxodo 20.12 está o mandamento aos filhos: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”. O apóstolo Paulo também diz em Efésios 6.2: “Honra teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa)”. Os filhos devem ser obedientes aos pais porque isso é justo diante de Deus. A liberdade e a felicidade dos filhos estão em honrar os pais. A autoridade dos pais sobre os filhos foi conferida pelo próprio Deus. Filhos sábios são aqueles que seguem veementemente este princípio divino e assim desfrutam da promessa de uma vida abençoada. Ou seja, os filhos devem ouvir respeitar, obedecer, honrar e cuidar dos pais, pois isso é grato diante do Senhor.

Os pais não podem irritar os filhos, para que os mesmos não fiquem desanimados:


Paulo diz em Colossenses 3.21: “Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados”. Mas, de que maneira os pais irritam os filhos? Os pais irritam os filhos quando ensinam com palavras, mas não com exemplo. Ou seja, os pais chateiam os filhos quando seguem o incoerente ditado: “Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço”. Pais que vivem de forma irresponsável, sem tempo para os filhos e de maneira repreensível, acabam aborrecendo e desanimando os filhos. O coração dos pais precisa ser convertido aos filhos e o coração dos filhos aos seus pais (Ml 4.6). Os pais devem criar os filhos no temor do Senhor, na disciplina dos princípios divinos e admoestando-os na Palavra de Deus. Os pais devem ser exemplos para os filhos, pois assim, estarão animando os filhos nos caminhos do Senhor e praticando o princípio para sua própria felicidade.

Conclusão:

Portanto, diante dos ataques frontais que a família sofre, precisamos resgatar urgentemente os princípios de Deus para uma família feliz. Onde os relacionamentos familiares devem ser orientados pela Bíblia, de modo que todos os integrantes da família abandonem a prática do pecado e renovam os princípios que glorificam a Deus. Lembrando que, a felicidade humana está assentada em três pilares: Deus, a Bíblia e a família. Isto quer dizer que é tempo de investirmos na família da maneira bíblica: colocando Deus acima das pessoas, o cônjuge acima dos filhos, os filhos acima dos amigos e os relacionamento acima das coisas.

Nos laços do Calvário que nos une,
Pastor Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”