12 Conselhos Importantes aos Pregadores


"Pastores são chamados para proclamar, não gritar, não urrar, nem gemer, nem gracejar, apenas pregar, e quando fazem isso fielmente e expondo a Escritura Sagrada é Deus falando através deles.” Ewerton B. Tokashiki

Quando o apóstolo Paulo disse: “... aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação” (1Co 1.21), ele quis mostrar o quanto a pregação é importante, necessária, inevitável e de valor inestimável na salvação dos que creem. Ou seja, a pregação é o meio pelo qual o Senhor Deus desperta o coração do pecador para a salvação em Jesus Cristo, através da ação do Espírito Santo. Nas palavras de Martyn Lloyd-Jones: “A pregação é a tarefa mais importante do mundo”. Pregação bíblica é o que carece os púlpitos da igreja brasileira. São raros os pregadores em que a mensagem pura e simples do evangelho sai fidedignamente. Ela está em escassez. Entretanto, o Poderoso Deus, por sua infinita graça, não nos deixa sem os seus mensageiros. Há quem ainda toma a Bíblia com seriedade e a anuncia no púlpito com fidelidade, pois eles entendem que pregar é ler, explicar, ilustrar e aplicar as Escrituras.

Pensando no assunto, eis alguns conselhos importantes aos pregadores:

1. Preguem para a glória de Deus. A pregação não tem o fim em si mesma, mas na glorificação de Deus: “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (1Co 10.31, grifo meu).

2. Preguem somente a Bíblia. Apenas a Palavra de Deus poderá gerar fé no coração do pecador. Não preguem psicologia humana ou confissão positiva, mas única e exclusivamente a Bíblia: “E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (Rm 10.17).

3. Preguem expositiva e sistematicamente. Não contem meras experiências, mas exponham fiel e ordenadamente as Escrituras: “E, começando por Moisés, discorrendo por todos os Profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras” (Lc 24.27).

4. Preguem cheios do Espírito Santo. Certifiquem-se de que estão vazios de si mesmos, porém, cheios da unção de Deus: “Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo”, “e não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava” (At 6.8,10).

5. Preguem para a edificação da igreja. A igreja cresce de forma saudável pela pregação fiel das Escrituras: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos... Enquanto isso, acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos” (At 2.42,47).

6. Preguem sobre a necessidade de arrependimento. Mostrem a condição e a inclinação humana de pecaminosidade e a necessidade de conversão: “e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém” (Lc 24.47).

7. Preguem Jesus como único mediador entre Deus e os homens. Cristo é o único que pode restaurar e religar o homem a Deus: “Porquanto há um só Deus e um só Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem” (1Tm 2.5).

8. Preguem para a salvação dos perdidos. Anunciem aos perdidos a vida eterna em Cristo: “... aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação” (1Co 1.21).

9. Preguem contra a teologia da prosperidade. Há muita propaganda enganosa em algumas igrejas. Prometem pão, mas dão pedras; prometem peixes, mas dão cobras. Portanto, denunciem a teologia da prosperidade e preguem somente as riquezas dos céus: “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas” (Mt 6.24).

10. Preguem preparados. Não se dirijam ao púlpito sem certificarem de que estão preparados espiritual, moral, intelectual e fisicamente: “Procura apresentar-te aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2Tm 2.15).

11. Preguem com objetivo e clareza. Sejam bíblicos, simples, práticos e contextuais (não sincretistas): “Varões israelitas, atendei a estas palavras: Jesus, o Nazareno, varão aprovado por Deus diante de vós com milagres, prodígios e sinais, os quais o próprio Deus realizou por intermédio dele entre vós, como vós mesmos sabeis; sendo este entregue pelo determinado desígnio e presciência de Deus, vós o matastes, crucificando-o por mãos de iníquos; ao qual, porém, Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte; porquanto não era possível fosse ele retido por ela” (At 2.22-24).

12. Preguem o que vivem e vivam o que pregam. A vida do pregador é a vida da sua pregação: “tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? Dizes que não se deve cometer adultério e o cometes? Abominas os ídolos e lhes roubas os templos?” (Rm 2.21,22).

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

Comentários

  1. Respostas
    1. Querida irmã Giovana, obrigado por visitar o nosso blog. Deus te abençoe!

      Excluir
  2. Respostas
    1. Paz pastor André! Que o Senhor da pregação continue usando a sua vida na proclamação do evangelho puro e simples.
      Um forte abraço!

      Excluir
  3. Texto simples, claro e profundo. Lamentável é que para que textos apologéticos excelentes como esse sejam escritos tem que existir uma realidade a ser denunciada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz! Que o Senhor Deus continue levantando pregadores comprometidos com as Escrituras. Que Deus continue usando pregadores para defender a verdade e denunciar a mentira.
      Um forte abraço!

      Excluir
  4. Simples e contundente! excelente texto...God bless you!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Washington por visitar o nosso blog! Um forte abraço!

      Excluir
  5. Muito boa as dicas. Eu preciso aprender a cada dia mais. Deus te abençoe =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que o Senhor da pregação continue usando a sua vida missionário Raul. Um abraço em Cristo!

      Excluir
  6. se todos os pregadores fossem fiéis a Palavra, não teríamos tantos escândalos e distorções da mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdadeiramente, o desafio dos pregadores é serem fiéis à Palavra de Deus. O papel do pregador é ler, explicar e aplicar a Bíblia. Que o Senhor da pregação continue levantando pregadores bíblicos!
      Um abraço em Cristo!

      Excluir
  7. gloria a Deus!!!!
    com a vossa permissão, farei uma cópia. contendo é claro, o link dessa maravilhosa colocação. Que Deus abençoe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Tá autorizado a reproduzir o material. Tudo é para a glória de Deus!
      Um forte abraço em Cristo!

      Excluir

Postar um comentário

Comentários:

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

ESTRATÉGIAS DE EVANGELIZAÇÃO URBANA (Parte 01)