Pular para o conteúdo principal

PASTOREANDO A CIDADE

“E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades” (Mt 9.35).

O século XX começou com 15% da população mundial vivendo nas cidades e terminou com 15% vivendo fora das cidades. Podemos mencionar pelo menos cinco fatores determinantes da urbanização: a industrialização; o crescimento populacional; o desejo de melhores condições de vida; a atração dos grandes centros; a mecanização da agricultura, trazendo a instabilidade agrícola e o desemprego na zona rural. Assim, os problemas relacionados com a missão da igreja na cidade exigem uma missiologia urbana. 

As necessidades do homem urbano tornam imperativo o estudo de uma teologia e uma práxis de evangelização compatíveis com os princípios e modelos bíblicos. Deste modo, podemos definir missão urbana como “a ação de evangelização da igreja na sua própria cidade”.

A cidade está de cabeça para baixo, precisamos virá-la de cabeça para cima, com o poder do Evangelho de Jesus Cristo. Missão urbana é tarefa da Igreja. Não é ocupação apenas do pastor, ou de um pequeno grupo da Igreja, mas de todos os crentes salvos em Jesus. Lembrando que, o trabalho missionário urbano só terá valor se houver uma preocupação séria com o discipulado.

Ficam aqui algumas sugestões para o pastoreamento da cidade:
 Aqueles que desejam servir (evangelizar) a cidade devem aprender a amar a cidade.
 Os missionários urbanos devem conhecer (pesquisar) a cidade.
 Os missionários urbanos devem aprender a apreciar (unidade) o corpo de Cristo existente na cidade.
 Um trabalho missionário urbano bem sucedido implica em se condoer (compaixão e ação) pela cidade.
 Bons missionários urbanos possuem uma paixão (amor e determinação) por evangelização profunda e genuína.

Assim sendo, as cidades representam o grande desafio para as missões cristãs devido ao seu tamanho, sua influência e suas necessidades. As cidades oferecem facilidades e dificuldades no que tange à evangelização. A Igreja é chamada para ministrar na cidade. Deus ama a cidade. Cristo morreu por ela. Há diferenças, entre evangelizar numa metrópole e num lugar interiorano. As igrejas precisam ter estratégias de trabalho para alcançar as cidades. Na próxima edição, falaremos sobre algumas estratégias de evangelização urbana.

Nos laços do Calvário que nos une,
Pr. Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”