Pular para o conteúdo principal

Pais Discipulando os Filhos

c7c102d68c406e230fb7a9ad20863c36

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e mesmo quando for idoso não se desviará dele!” (Pv 22.6)

No presente texto, pretendo enumerar algumas atitudes que os pais devem ter para com os filhos:
  1. Não falhe! Se você falhar como pai ou mãe, cometerá um dos maiores erros que alguém pode cometer na vida. Não me refiro meramente aos erros que cometemos na criação, mas ao erro de não criar os nossos filhos.
  2. Jamais terceirize a educação do seu filho. A escola, a igreja e os familiares são importantes para o crescimento do seu filho, mas nada nem ninguém substituirá a educação dos pais.
  3. Seja para o seu filho aquilo que somente você pode ser. O seu papel não é dar ao seu filho aquilo que você não teve, pois os filhos precisam mais do que presentes, eles precisam da presença dos pais. Ou seja, a sua função é ser aquilo que ninguém mais pode ser na vida do seu filho: pai/mãe! Muitos pais querem que os filhos fiquem mais tempo na escola e muitos filhos querem que os pais fiquem mais tempo em casa.
  4. Nunca esqueça: seu filho seguirá seu exemplo e não seu conselho. Não adianta você falar para o filho não “arrotar” em público se você mesmo o faz. O ditado: “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” – não funciona.
  5. Evangelize e discipule o seu filho. Não espere que um missionário venha evangelizar e discipular seu filho. Essa missão é sua! Fale de Cristo ao seu filho.
  6. Não ensine ao filho “o” caminho, mas “no” caminho. Ou seja, não envie seu filho para a igreja, vá com ele! Não aponte para o filho o caminho certo, você precisa, também, estar no caminho certo e chamar o filho para andar nele junto com você.
  7. Ore pelo seu filho e ore com o seu filho. Mostre a ele que os momentos mais maravilhosos que podemos ter na vida são aqueles em que passamos a sós com Deus em oração.
  8. Ame, discipline e estabeleça limites ao seu filho. Um exemplo clássico na Bíblia no que se refere a um pai conivente com os erros dos filhos é o do sacerdote Eli. Hofni e Finéias promoviam escândalos a ponto de todo o povo ver. Eli deixou de disciplinar seus próprios filhos, mesmo sendo alertado por várias vezes. O preço pago por tal comportamento foi muito alto. Não seja complacente e conivente com os pecados do seu filho.
Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”