Pular para o conteúdo principal

BREVE BIBLIOGRAFIA DE TEOLOGIA PASTORAL


QUERO AQUI SUGERIR UMA BREVE BIBLIOGRAFIA DE TEOLOGIA PASTORAL:

Armstrong, John (org.). (2007). O Ministério Pastoral Segundo a Bíblia. São Paulo, SP: Editora Mundo Cristão.

Barrientos, Alberto. (1999). Trabalho Pastoral – princípios e alternativas. Editora United Press.

Baxter, Richard. (1996). O Pastor Aprovado – modelo de ministério e crescimento pessoal. São Paulo, SP: Publicações Evangélicas Selecionadas.

Bickers, Dennis. (2001). Pastor e Profissional – a alegria do ministério bivocacionado. Rio de Janeiro, RJ: Editora Textus.

Carson, D.A. (2009). A Cruz e o Ministério Cristão. São José dos Campos, SP: Editora Fiel.

Drescher, John M. (1997). Se Eu Começasse Meu Ministério de Novo. Campinas, SP: Editora Cristã Unida.

Fábio, Caio. (1997). Confissões do Pastor. Rio de Janeiro, RJ: Editora Record.

Groeschel, Craig. (2007). Confissões de um Pastor – por que decidi tirar a máscara da perfeição. São Paulo, SP: Editora Mundo Cristão.

Kemp, Jaime. (1995). Pastores em Perigo – ajuda para o pastor, esperança para a Igreja. São Paulo, SP: Editora Sepal.

________________. (1999). Pastores Ainda em Perigo – ajuda para o pastor, esperança para a Igreja. São Paulo, SP: Editora Sepal.

Lopes, Hernandes Dias. (2007). Piedade e Paixão – a vida do ministro é a vida do seu ministério. São Paulo, SP: Arte Editorial e Editora Candeia.

________________. (2008). De Pastor a Pastor. São Paulo, SP: Editora Hagnos.

Lutzer, Erwin. (2000). De Pastor Para Pastor – respostas concretas para os problemas e desafios do ministério. São Paulo, SP: Editora Vida.

Macarthur, John & Wayne, Mack. (2004). Introdução ao Aconselhamento Bíblico – um guia básico dos princípios e prática do aconselhamento. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.

Peterson, Eugene. (2000). Um Pastor Segundo o Coração de Deus – a forma da integridade pastoral. Rio de Janeiro, RJ: Editora Textus.
________________ & Marva J. Dawn. (2001). O Pastor Desnecessário – redescobrindo o chamado. Rio de Janeiro, RJ: Editora Textus.
________________. (2002). O Pastor Contemplativo – voltando à arte do aconselhamento. Rio de Janeiro, RJ: Editora Textus.
________________. (2006). A Vocação Espiritual do Pastor – redescobrindo o chamado ministerial. São Paulo, SP: Editora Mundo Cristão.
________________. (2008). O Pastor Que Deus Usa – cinco pilares da prática pastoral. São Paulo, SP: Editora Mundo Cristão.

Price, Donald E. (org.). (2001). Autenticidade ou Hipocrisia? – a integridade e os desafios do ministério. São Paulo, SP: Edições Vida Nova.

Sittema, John. (2004). Coração de Pastor – resgatando a responsabilidade pastoral do presbítero. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.

White, Peter. (2003). O Pastor Mestre – lições indispensáveis que um ministro deve aprender. São Paulo, SP: Editora Cultura Cristã.

Zabatiero, Júlio. (2005). Fundamentos da Teologia Prática. São Paulo, SP: Editora Mundo Cristão.

Nos laços do Calvário que nos une,
Rev. Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”