Pular para o conteúdo principal

Pais e Filhos

Esboço de Sermão

Pais e Filhos

Cl 3.20,21

Introdução:
1.      Ilustração: Pai e filho foram encontrados depois de 40 anos, no Vietnã.
2.      Como os pais devem tratar os filhos? Como os filhos devem tratar os pais?
3.      De que maneira os pais irritam os filhos? Por que os filhos devem obedecer aos pais?
4.      Paulo discute aqui o relacionamento do novo ser humano para com os outros, mais precisamente entre pais e filhos:

I. Os filhos devem ser obedientes aos pais em tudo:
1.      Cl 3.20 afirma: “Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do Senhor”.
2.      Ex 20.12 está o mandamento aos filhos: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”.
3.      O apóstolo Paulo também diz em Efésios 6.2: “Honra teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com promessa)”.
4.      A autoridade dos pais sobre os filhos foi conferida pelo próprio Deus.
5.      Os filhos devem ser obedientes aos pais porque isso é justo diante de Deus.
6.      Filhos sábios são aqueles que seguem veementemente este princípio divino e assim desfrutam da promessa de uma vida abençoada.
7.      Pv 23.22 (NTLH): “Escute o seu pai, pois você lhe deve a vida; e não despreze a sua mãe quando ela envelhecer”.
8.      Os filhos devem ouvir, respeitar, obedecer, honrar e cuidar dos pais, pois isso é grato diante do Senhor.
9.      O único limite com relação à obediência do filho é quando os pais exigem algo contrário à Palavra de Deus.

II. Os pais não devem irritar os filhos, para que os mesmos não fiquem desanimados:
1.      Paulo diz em Colossenses 3.21: “Pais, não irriteis os vossos filhos, para que não fiquem desanimados”.
2.      Mas, de que maneira os pais irritam os filhos?
3.      Muitos pais regem a família com uma autoridade rígida e dominadora.
4.      Muitos pais não se atentam para os desejos e o bem-estar dos filhos.
5.      Paulo deixa claro que a autoridade do pai cristão sobre seus filhos não permite exigências e restrições absurdas que poderiam levar seus filhos à ira, ao desespero e ao ressentimento.
6.      Os pais irritam os filhos quando ensinam com palavras, mas não com exemplo.
7.      Os pais chateiam os filhos quando seguem o incoerente ditado: “Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço”.
8.      Pv 22.6: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele”.
9.      Os pais devem ensinar aos filhos: “Ensinai-as a vossos filhos, falando delas assentados em vossa casa, e andando pelo caminho, e deitando-vos, e levantando-vos” (Dt 11.19).
10.  Pais que vivem de forma irresponsável, sem tempo para os filhos e de maneira repreensível, acabam aborrecendo e desanimando os filhos.
11.  Os pais devem disciplinar aos filhos: “O que retém a vara aborrece a seu filho, mas o que o ama, cedo, o disciplina” (Pv 13.24).
12.  O coração dos pais precisa ser convertido aos filhos e o coração dos filhos aos seus pais: “ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais...” (Ml 4.6).

Conclusão e Aplicações:
1.      A liberdade e a felicidade dos filhos estão em honrar os pais.
2.      Os filhos devem obedecer aos pais como se estivesse obedecendo ao próprio Deus. Esse foi o modo planejado e exigido (“justo”) por Deus.
3.      Os pais devem ser exemplos para os filhos, pois assim, estarão animando os filhos nos caminhos do Senhor e praticando o princípio para sua própria felicidade.
4.      Os pais devem criar os filhos no temor do Senhor, na disciplina dos princípios divinos e admoestando-os na Palavra de Deus.
5.      Ilustração: O que é isto? É um pássaro.
6.      Deus é o nosso Pai celestial. Ele deu o seu Único Filho para nos salvar.
7.      Somente podemos ser filhos de Deus através de Jesus.
8. Devemos nos entregar aos cuidados do Pai celestial.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”