Pular para o conteúdo principal

Pequeno trecho do livro “Missões no Poder Espírito Santo” do Pastor Luciano Paes Landim, pela SAEM Publicações

“e sereis minhas testemunhas” (At 1.8)

 
A expressão “e sereis” expõe enfaticamente a inevitabilidade da obra missionária. Quando Jesus disse “e sereis”, Ele não estava dando uma ordem aos discípulos. Como alguém disse: “se fosse uma ordem Ele teria dito: ‘vocês deverão ser’. Ele não está dando uma ordem, Ele está afirmando e garantindo um acontecimento infalível, inevitável: ‘vocês serão minhas testemunhas’. Assim que eles recebessem o batismo com o Espírito Santo, eles se transformariam, espontaneamente, em testemunhas de Jesus”. A evidência de que estamos cheios do Espírito Santo é a ação missionária inevitável em nossas vidas.

Outro ponto importante neste assunto é: a essência da obra missionária é ser testemunha de Cristo; de sua vida, morte e ressurreição. Testemunhar é falar daquilo viu e ouviu. Testemunhas são pessoas que contam a verdade sobre Jesus. Testemunhar é sofrer e padecer por amor a Cristo. A palavra “testemunha” significa “pessoa que dá a vida pela sua fé”, pois esse foi o preço comumente pago pelo testemunho.

Isto significa que, como afirma Hernandes Dias Lopes, cada cristão é um missionário:

a)      O médico cristão é missionário de Cristo no hospital.

b)      O advogado é missionário de Cristo no seu escritório.

c)      O juiz é missionário de Cristo no tribunal.

d)      O comerciante é portador de boas novas atrás do balcão.

e)      O negociante é veículo da graça de Deus por onde anda.

f)       O estudante é missionário na escola e faculdade.

g)      A empregada doméstica flameja a luz de Cristo na casa onde trabalha. Etc.

Isto implica que todo aquele que teve uma experiência pessoal com Cristo, automaticamente torna-se uma testemunha. Jesus Cristo quer que todos os seus seguidores sejam fieis testemunhas da sua realidade e poder.

Entretanto, há uma falsa ideia missionária no meio do povo de Deus. Alguns pregam que há três atitudes diante de missões: fazer algo, ficar olhando ou fugir. Todavia, este pensamento é antibíblico. Em nenhum lugar da Bíblia Deus diz que podemos ficar olhando ou fugir de missões. Pelo contrário, só temos uma alternativa: Ir. Marcos 16.15 não diz: “Fiquem olhando, fujam ou preguem o Evangelho em todo o mundo”. Mas:

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.”

Missões não é uma alternativa, mas a evidência de que estamos cheios do Espírito Santo. Quando estamos cheios do poder do Espírito Santo missões é inevitável. Ninguém entra na obra missionária sem ser chamado e ninguém consegue sair da obra missionária quando se é chamado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”