ESTRATÉGIAS DE EVANGELIZAÇÃO URBANA (Parte 01)


“mas recebereis poder, aos descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (At 1.8).

INTRODUÇÃO:
Como prometido, estaremos falando sobre algumas estratégias de evangelização urbana. Assim, é necessário fazer algumas perguntas: O que fazem as igrejas locais em nível de evangelização urbana? Como atingir a população ao redor da igreja?
A conversão de indivíduos à fé cristã, sua busca e transformação operados pela ação do Espírito Santo, se dá apenas mediante a pregação da Palavra de Deus e a aplicação interna desta feita pelo Espírito Santo (1Co 1.21). Precisamos de ousadia, entusiasmo e sabedoria. O mundo é dinâmico, e não estático.
Precisamos estudar a população ao redor da igreja, e na sabedoria do Espírito Santo, escolher os métodos, estabelecer as estratégias, lembrando sempre que a oração precede a ação.

A FORMAÇÃO DE GRUPOS DE ORAÇÃO:
“Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei” (Ez 22.30).
A igreja precisa sentir o desejo de orar pelos ainda não convertidos. Interceder significa literalmente “interpor-se”, “colocar-se entre”. O maior exemplo de intercessão é o de Jesus: “pelos transgressores intercedeu” (Is 5.12). Jerram Barrs disse: “Oração sincera, apaixonada, poderosa deve brotar dos nossos corações em favor daqueles a quem amamos, e daqueles cujas vidas são ligadas conosco, na teia da existência diária”.

O TESTEMUNHO PESSOAL:
O evangelismo pessoal ou testemunho pessoal de vida é um dos mais eficientes métodos evangelísticos. É preciso viver o que se prega, senão a evangelização torna-se uma hipocrisia. Tornamos o Evangelho conhecido mais pelo perfume do que pela palavra. Francisco de Assis disse aos seus discípulos: “Evangelize sempre; se necessário, use palavras”.

A RECEPTIVIDADE:
Boa receptividade da parte dos membros da igreja local é muito importante para com os visitantes. É necessário ter uma equipe treinada de recepcionistas, os quais darão atenção antes, durante e depois do culto aos visitantes e membros ausentes que retornam. Um cafezinho após o culto oportuniza a confraternização entre todos.

CONCLUSÃO:
Portanto, a igreja na cidade deve decidir saturar a comunidade local com o Evangelho de Cristo, mover-se para fora das quatro paredes da igreja local, por proclamar o Evangelho pela voz e pela vida, testemunhando em palavras e em obras, na missão integral da igreja, por mover-se para frente, mas somente em unidade e de jamais barganhar o Evangelho da graça, em nenhuma circunstância.
Acompanhe as próximas publicações sobre estratégias de missões urbanas.

Nos laços do Calvário que nos une,
Pr. Luciano Paes Landim.

Comentários

  1. Shalon, Pr.Luciano!

    O maior propósito da igreja na Terra deve ser mesmo a evangelização!Boa palavra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz, irmã Rosane Luz!

      Verdadeiramente a igreja existe para proclamar a glória de Deus ao mundo. Precisamos urgentemente crer na Palavra de Deus de tal forma que a pratiquemos e a anunciemos aos perdidos.

      Um forte abraço em Cristo!

      Luciano Paes Landim.

      Excluir
  2. jesus.chamou.os.discipulos.e.serviu.ele.os.paes.para.ele.ir.servi.a.multidao.Jesus.nos.chamou.para.servirmos.as.pessoas.que.estao.com.suas.almas.famintas.do.pao.vivo.que.derceu.do.ceu.(o.que.leva.um.missionario.a.chorra.nao.e.as.lutas.mas.ver.vidas.perecer;autor-Eduardo.Bruno)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Comentários:

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA