O Juízo Final


Título: O Juízo Final
Texto: Ap 20.11-15
Objetivo Geral: Doutrinário
Objetivo Específico: Orarei por aqueles que se disponham renovar a fé em Jesus Cristo preparando-se para o Grande Dia.
Proposição: O Juízo Final acontecerá na consumação da história, tendo, todos os homens que prestar contas a Deus de seus atos, palavras e pensamentos.
Inquirição: O que é o Juízo Final? Qual a sua necessidade? Quais devem ser as nossas atitudes para com a certeza do Juízo Final?
Sentença de Transição: Este é o assunto que vamos meditar nesta noite.

Introdução:
1. Deus aparece em cena no Juízo Final;
2. O Juízo Final exalta o caráter e poder de Deus sobre o universo;
3. Injustiças e sofrimentos na história nunca fogem aos olhos de Deus;
4. Aqueles que perseguem e praticam injustiça não podem vencer no fim;
5. Deus julgará toda obra;
6. A expectativa do Juízo Final deve ser um terror para os inimigos de Deus;
7. Para os eleitos o Juízo Final significa “alicerce de segurança”;
8. Não haverá chance de retrocesso, nova chance.

Divisões:

I. A Necessidade e Propósito do Juízo Final:
1. Manifestar a glória de Deus (2 Co 4.3,4);
2. Tornar Público o seu Propósito Eterno;
3. Consumar a História Salvífica.

II. O Dia e a Duração do Juízo Final:
1. Não se sabe o dia;
2. Não se sabe a duração.

III. O Juiz e a Integridade de Seu Juízo:
1. O Juiz e os Seus Auxiliares:
a) Na primeira vez Jesus veio para salvar o perdido (Lc 19.10);
b) Na segunda vez Jesus virá para julgar a todos os homens (Jo 5.22,27);
c) Anjos (Mt 13.41-43; 24.31);
d) Eleitos glorificados (Mt 19.28; 1 Co 6.2,3).
2. A integridade do Juízo de Cristo:
a) Justo (Ap 16.7; 19.2);
b) Verdadeiro (Ap 16.7; 19.2);
c) Reto (1 Pe 2.23);
d) Sem acepção de pessoas (1 Pe 1.17).

IV. Como Será o Juízo Final?
1. Todos serão julgados por suas obras, nada ficando encoberto;
2. O homem responderá diante do Juiz por suas palavras, obras e pensamentos;
3. Tudo se tornará em público.

V. Quem Passará pelo Juízo Final?
1. Todos os homens individualmente (Hb 12.23);
2. Os anjos répobros (Jo 12.31; 16.11).

VI. Atitudes Para Com a Certeza do Juízo Final:
1. Arrependimento dos pecados passados (At 17.30,31);
2. Expectativa confiante de nossa completa redenção (Hb 9.28);
3. Confiança (1 Jo 4.17);
4. Usar os nossos talentos (Mt 25.14-30);
5. Alegria (Ap 18.20);
6. Entregar a Deus todas as injustiças sofridas (Rm 12.17-19);
7. Proclamar o Juízo (At 17.30,31).

Conclusão:
1. A História caminha de forma irreversível para o Dia do Juízo;
2. O Juízo Final revelará a Cristo como o Rei Eterno;
3. Jesus julgará conforme a sua Palavra registrada nas Escrituras;
4. Os salvos serão galardoados;
5. A nossa responsabilidade diante de Deus é individual;
6. A salvação será pelos méritos de Cristo;
7. O julgamento dos eleitos não será condenatório;
8. Ilustração: O advogado que virou juiz;
9. Busque Jesus Advogado enquanto é tempo, antes que venha o Jesus Juiz.
10. “Filhinhos meus, estas coisas escrevo para que não pequeis. Se todavia, alguém pecar, temos Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o justo” (1 Jo 2.1).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA