Pular para o conteúdo principal

Igreja doméstica em Mianmar cresce em meio à perseguição

Stephen* é filho de um tenente-coronel que se converteu ao cristianismo em 1970. Depois de terminar os estudos teológicos, ele iniciou uma igreja doméstica no centro de Mianmar, um país de maioria budista que ocupa o 32º lugar na Classificação de países por perseguição (ranking anual das nações onde os cristãos são severamente hostilizados por conta de sua fé)
Myanmar2008-0201.jpg

"Quando eu comecei, a igreja era uma estrutura de dois andares com paredes de bambu e tinha um telhado de palha", disse Stephen, pai de dois filhos. "Era muito quente durante o verão e, durante a estação chuvosa, a água vazou muito através do telhado".


Quando a igreja cresceu, o lugar onde eles se encontraram para a adoração tornou-se muito congestionado para a congregação, então Stephen decidiu que precisava expandir. Instantaneamente, seu ministério encontrou a oposição das autoridades locais, que foram pressioná-lo a assinar um papel alegando que ele iria parar a construção.
"Oficiais chegavam repentinamente", disse ele. "Por isso, tivemos de trabalhar de noite, enquanto os vizinhos dormiam. Mas eles nos denunciavam às autoridades".
No entanto, isso não os impediu de terminar o trabalho e a igreja foi concluída e inaugurada em junho de 2006. Meses depois, as autoridades locais retornaram e insistiram para que a placa da igreja fosse removida. Apesar disso, Stephen e os cristãos continuaram a testemunhar de Cristo.
Por causa de sua persistência e perseverança, muitas pessoas de diferentes origens religiosas – budistas, muçulmanas e hindus - foram atraídas para Cristo. O Senhor lhes acrescentava pessoas, diariamente. Este crescimento teve bons resultados, embora o governo tenha emitido um mandado proibindo a igreja de realizar cultos, em 2008. Ele afirmou que o evangelho pode ser compartilhado sem a aprovação das autoridades. Nenhuma reunião com mais de 10 pessoas foi permitida.
As pressões e as proibições pareciam não ter efeito sobre Stephen e os cristãos. "Nós continuamos a testemunhar de Cristo", disse Stephen. "Nós conduzimos os cultos de casa em casa. Tivemos até canção de Natal, cantada na casa de um funcionário local. Por isso, ele nos deu permissão para celebrar o Natal no prédio da igreja".
O ministério da Portas Abertas em Mianmar ajuda pastores como Stephen, a realizarem seminários de preparação para a perseguição e fornece ajuda prática. "Estamos fortes e Deus continua a nos conceder bênçãos. Agora, a igreja tem aumentado e temos batizado centenas de novos cristãos em um período de 13 anos".
O que começou como uma igreja com sete cristãos, agora é uma congregação com 200 membros. Mas alguns deles são deserdados, abandonados e amaldiçoados por seus pais e parentes. "Mesmo assim, eles são fortes na sua fé", compartilhou Stephen, que ofereceu abrigo e oportunidades de renda para os cristãos perseguidos em sua igreja.

 Pedidos de oração
  • Ore por Stephen e pelos membros de sua igreja, para que continuem a preservar na fé, embora estejam sendo perseguidos por vizinhos e funcionários locais.
  • Interceda pelos cristãos do centro de Mianmar, para que eles tenham sabedoria e discernimento para testemunhar a seus vizinhos budistas.
  • Peça ao Senhor que fortaleça o ministério Portas Abertas a fim de que consiga recursos para abrir seminários de preparação para a perseguição que alcancem mais cristãos em Mianmar.
*O nome e outros detalhes foram alterados para a segurança do cristão.
 
Fonte: Portas Abertas Internacional
Tradução: Priscila Slobodticov
Link: http://www.portasabertas.org.br/noticias/2013/06/2503968/ 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”