Muitos insistem em dizer que músico é levita


(Trecho do livreto "Louvor é Mais Que Música" que será publicado em agosto pela SAEM Publicações)

M
uitos têm usado “levita” como sinônimo de músico. Puro engano. Não temos mais levitas.[1] Realmente, a Bíblia relata que existiam levitas envolvidos com a música no antigo Israel.[2] No entanto, nem todos os levitas eram músicos. A música no serviço levítico era a menor das tarefas. Alguns levitas cuidavam de outras atividades cultuais, como o sacrifício, tarefas administrativas e operacionais.[3] Havia, então, entre eles porteiros, guardas, padeiros e também cantores e instrumentistas.[4] Muitas das vezes em que se fala sobre os levitas no Antigo Testamento, a referência se aplica aos ajudantes dos sacerdotes. Seu serviço era cuidar do tabernáculo e de seus utensílios, inclusive carregando tudo isso durante a viagem pelo deserto (Nm capítulos 3, 4, 8, 18). Naquele tempo, os levitas não eram responsáveis pela música no tabernáculo. Afinal, não havia uma parte musical no culto estabelecido pela lei de Moisés, embora as orações e sacrifícios incluíssem o sentido de louvor, adoração e ações de graças.[5] Assim, músico na igreja não é o mesmo que levita. Levitas eram os membros da tribo de Levi. Músico que se autodenomina “levita” imputa para si uma identificação judaizante e se ergue mais que os outros irmãos. Alguns usam este termo para se autodenominar para se sentirem mais especiais e intocáveis. Institui uma categoria entre crentes “levitas” e “não-levitas”. Se houvesse ainda o sacerdócio levítico, ele não estaria acoplado a músicos na igreja. Com a morte e ressurreição de Cristo, o sacerdócio levítico tornou-se caduco. O levita tinha um papel de mediador, assumido por Cristo. Vale lembrar que em nenhum lugar do Novo Testamento encontramos referência de que líderes de música, cantores ou instrumentistas sejam considerados como levitas do Senhor.

Algumas coisas que os ditos “levitas” de hoje se esqueceram:

1. De circuncidar o prepúcio.
2. Das maldições destinadas à Israel explícitas em Dt 28. 15...
3. De raspar os pelos do corpo como esclarece.[6]
4. De abandonar as suas casas e mudarem para as cidades determinadas em Israel, se ainda existirem.[7]

Portanto, como não somos descendentes da tribo de Levi e não existe mais o templo, então, está dispensado do serviço “levítico”, mas não da adoração e louvor a Deus. Ou seja, é melhor continuar sendo músico de igreja do que “levita” de Israel. Músico é músico e pronto! Como disse Stephen Altrodgge: "Caros líderes de adoração: Vocês não levam ninguém à presença de Deus. Jesus já fez isso."[8]

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.




[1] Originalmente, "levita" significa "descendente de Levi", que era um dos 12 filhos de Jacó.
[2] 1Cr 15.22: “Quenanias, chefe dos levitas músicos, tinha o encargo de dirigir o canto, porque era perito nisso.”
[3] 1Cr 9.26: “porque havia sempre, naquele ofício, quatro porteiros principais, que eram levitas, e tinham a seu cargo as câmaras e os tesouros da Casa de Deus.” Nm 1.50: “mas incumbe tu os levitas de cuidarem do tabernáculo do Testemunho, e de todos os seus utensílios, e de tudo o que lhe pertence; eles levarão o tabernáculo e todos os seus utensílios; eles ministrarão no tabernáculo e acampar-se-ão ao redor dele.”
[4] 2Cr 34.13: “Todos os levitas peritos em instrumentos músicos eram superintendentes dos carregadores e dirigiam a todos os que faziam a obra, em qualquer sorte de trabalho. Outros levitas eram escrivães, oficiais e porteiros.”
[5] Muito tempo depois, Davi inseriu a música como parte integrante do culto. Então, atribuiu a alguns levitas a responsabilidade musical. Em I Crônicas (9.14-33; 23.1-32; 25.1-7), vemos diversas atribuições dos levitas.
[6] Lv 8.7: “assim lhes farás, para os purificar: asperge sobre eles a água da expiação; e sobre todo o seu corpo farão passar a navalha, lavarão as suas vestes e se purificarão.”
[7] Lv 35.2: “Dá ordem aos filhos de Israel que, da herança da sua possessão, dêem cidades aos levitas, em que habitem; e também, em torno delas, dareis aos levitas arredores para o seu gado.”
[8]  O Yago Martins citou esta frase numa rede social. Acredito que o autor da frase, Stephen Altrodgge, quando diz “Caros líderes de adoração”, refere-se à adoração coletiva, comunitária ou congregacional.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

ESTRATÉGIAS DE EVANGELIZAÇÃO URBANA (Parte 01)