Pular para o conteúdo principal

UMA BREVE REFLEXÃO MISSIONÁRIA



V
ivemos “uma” situação delicada no que diz respeito ao trabalho missionário. Há muitos missionários não convertidos no campo. Há um número enorme de missionários não vocacionados na seara. Há muitas pessoas que entram para missões com motivações erradas. Muitos querem as glórias do missionário, mas não suas cicatrizes e marcas. Querem fama, reconhecimento humano e dinheiro. Alguns fazem desta obra um refúgio para esconder sua preguiça e comodismo. Não querem trabalhar. Não querem o bem das ovelhas, mas os bens das ovelhas. Há missionários que querem ser sustentados, mas são os primeiros a pregarem contra o dízimo. São os primeiros a não contribuírem para o sustento da obra. Alguns não frequentam igrejas, pois dizem que a obra de Deus não tem nada a ver com denominações, mas quando precisam de “ofertas”, a primeira coisa que fazem é procurar as denominações. Há missionários que deveriam cuidar de si mesmos antes de quererem cuidar dos outros. Deveriam evangelizar a si mesmos, para depois evangelizar os outros. Há muitos missionários despreparados doutrinariamente. Não estudam a fundo as Escrituras Sagradas. Estão à mercê dos lobos travestidos de ovelhas. Há missionários que estão em pecado e já perderam a sensibilidade espiritual. Há missionários que não evangelizam, não discipulam e não plantam igrejas. Há missionários que só pregam em congressos, conferências e cultos.
Mas há missionários convertidos, missionários preparados biblicamente. Ainda há missionários que fazem missões com a motivação correta - a glória de Deus. Também existem missionários que trabalham arduamente nos campos com o objetivo de anunciar a salvação única e exclusiva em Jesus Cristo. Há missionários que foram abandonados nos campos, que precisam de sustento financeiro e espiritual. Missionários que do pouco que recebem, ajudam outros a se manterem. Há missionários santos e cheios do Espírito Santo, que não medem esforços nem distâncias para anunciar o evangelho ao pecador.
Que o Deus da missão tenha misericórdia de nós, e envie verdadeiros missionários aos campos. Que o Senhor da missão levante uma geração de missionários cheios do conhecimento bíblico e incendiados pelo poder do Espírito Santo. Que Cristo, o Missionário por Excelência, convoque um exército de crentes comprometidos com o eva

Nos laços do Calvário que nos une,

Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”