A Terra do Nunca: Lugar de Decrescimento

As igrejas que substituíram a atuação do Espírito Santo por uma experiência mística marcada por superstições são igrejas que incham, crescem somente para os lados. Não crescem para cima (em espiritualidade) nem para baixo (em profundidade). Elas são guiadas pelos terapeutas da superstição, que formam pessoas para viver um projeto individualista, que tem como fim deixá-las completamente imaturas. Funcionam como a Terra do Nunca, de Peter Pan, onde seus adeptos nunca crescem. Seus programas de rádio e televisão não são feitos para anunciar o conteúdo do evangelho, mas para alardear as virtudes de suas próprias instituições. Em seus templos, substituíram o culto de oração por campanha de “Quebra de Maldição” e o culto de ensino bíblico por campanha de “Batalha Espiritual”. Na verdade, eles ainda não entenderam a mensagem da cruz, onde Jesus levou nossas maldições e venceu toda a guerra espiritual quando se entregou pelos eleitos. Sabemos que não podemos praticar o pecado para estar debaixo de maldição e que devemos vestir a armadura de Deus para ficarmos firmes contra as ciladas do diabo: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Ef 6:11). Eles também substituíram a Bíblia por amuletos “evangélicos” e a fé bíblica por crendices supersticiosas.

De modo geral, nosso povo pratica uma forma de religião sincretista e idólatra. Portanto, confundem o evangelho com auto-ajuda e confissão positiva. Mergulham na feira das vaidades. Adoram cargos, posições e títulos.
 
Muitos cristãos, ao longo do caminho, foram seduzidos pela fascinação do poder mundano. É muito difícil suportar que mais um se auto-intitulou apóstolo. Não dá mais para ficar assistindo reuniões onde a Palavra de Deus não é mais vista como necessária para o crescimento espiritual dos cristãos. Substituíram a Bíblia, o poder do Espírito Santo e a santificação por terapias alternativas e shows evangélicos. Parece que todo tipo de credo e doutrina são bem vistos nas igrejas. Romperam com os ensinos do Salvador. Os reformadores proclamavam: “Sola Gratia, Sola Fide, Solus Christus, Soli Deo Gloria, Sola Scriptura” . Hoje fazem o contrário: “Só eu, só minhas opiniões, só minha prosperidade, glória para mim”. O problema é que constantemente chegamos ao espelho e dizemos: Grandioso és tu!

Essa é a religião ególatra que pertence à sociedade sem Deus. Religião que prega um evangelho sem Cristo, que ensina a filosofia da prosperidade material esquecendo-se da esperança da vida eterna provinda do céu. Perguntamos: Como uma igreja pode ser verdadeira e fiel se não se mantém somente nas Escrituras, e não é comprometida com o evangelho bíblico e não existe para a glória de Deus?

Nos laços do Calvário que nos une,
Rev. Luciano Paes Landim.

Comentários

Postar um comentário

Comentários:

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA