Pular para o conteúdo principal

SERVOS DE DEUS SOFRENDO DE DEPRESSÃO

Não podemos explicar as nossas depressões unicamente em termos espirituais. Infelizmente muitos cristãos interpretam a depressão somente como sintoma e sinal de pecado e desobediência a Deus. Não obstante, a Bíblia historia que a fé não nos impede de passar pela depressão. Alguns servos de Deus atravessaram por este desalento. Estes fatos nos mostram que, mesmo os gigantes da fé, podem sofrer de depressão. Vejamos:

1. Jó: “Por que não morri eu na madre? Por que não expirei ao sair dela?” (Jó 3.11).

2. Moisés: “Se assim me tratas, mata-me de uma vez, eu te peço, se tenho achado favor aos teus olhos” (Números 11.15).

3. Davi: “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim?” (Salmo 42.5).

4. Jonas: “Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver” (Jonas 4.3).

5. Noemi: “... Não me chames Noemi; chamai-me Mara, porque grande amargura me tem dado o Todo-Poderoso” (Rute 1.20).

Para muitos estudiosos, o exemplo mais forte de angústia é o de Jesus. No Getsêmani, ele ora: “A minha alma está profundamente triste até à morte” (Mt 26.28). A “tristeza até a morte” que Jesus experimentava é decorrência de ter atravessado por sofrimentos, sensações e sentimentos de grande agonia.

Estudando a história da igreja cristã encontramos mais pessoas, tementes e fiéis a Deus, pelejando contra esta aflição. São homens de Deus que tiveram intransigentes conflitos de depressão: Agostinho, Lutero, David Brainerd, John Bunyan, Willian Carey, Richard Wurmbrand, etc... Pessoas que souberam lidar e vencer este mal.

Portanto, a depressão pode atacar até mesmo os cristãos. Este entendimento colaborará muito para tratar com afabilidade e complacência aqueles que estão atravessando por essas águas tumultuosas. Esses exemplos desvendam o realismo bíblico da depressão. Porém, acima de tudo, enchem-nos de esperança: “Porque não temos sumo-sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas...” (Hebreus 4.15). “Pois, naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados!” (Hebreus 2.18).

Nos laços do Calvário que nos une,
Rev. Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”