Mantendo a Fé Em Meio às Adversidades

TEXTO BÁSICO: Habacuque 3.16-19

“Ouvi-o, e o meu íntimo se comoveu, à sua voz, tremeram os meus lábios; entrou a podridão nos meus ossos, e os joelhos me vacilaram, pois, em silêncio, devo esperar o dia da angústia, que virá contra o povo que nos acomete. Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente.
Ao mestre de canto. Para instrumentos de cordas.”

INTRODUÇÃO

A fé que triunfa sobre a dúvida é o tema central do livro do profeta Habacuque. A mensagem do seu livro mostra que, independentemente de quão desoladoras, abstrusas ou confusas as circunstâncias se mostrem no momento, a verdadeira alegria está no Deus da salvação, no Deus que governa e controla todas as coisas, no Deus soberano. É verdade que não é fácil compreender tudo o que se passa no mundo e em nossa vida particular. O fato é que as adversidades, lutas e tribulações não escolhem hora, lugar ou pessoas. Elas meramente se abatem sobre nós. A diferença, entretanto, consiste em como enfrentá-las, contorná-las e superá-las.
O profeta Habacuque ficou alarmado quando soube que Deus viria com juízo contra o seu povo, Judá, usando como instrumentos para este juízo os babilônios, e também em saber que Deus castigaria a Babilônia. Habacuque foi profeta do Reino do Sul, Judá, contemporâneo de Jeremias e Naum. O seu nome significa “abraço”. Ele viveu durante uma ocasião histórica muito conturbada: o Reino do Norte, Israel, havia sido derrocado pelos assírios em 722 a.C., e o império Caldeu começava a surgir no horizonte. A título de introdução, uma nota importante aqui é a triste realidade que estava acontecendo com os governantes de Judá: estavam submergidos em muita corrupção e adoração a deuses pagãos.
O texto em apreço (Habacuque 3.16-19) é a conclusão do cântico de vitória do profeta Habacuque. O cântico é uma oração de triunfo (Habacuque 3.1-19). O profeta pede a Deus que se manifeste (v. 2), e Deus responde (vs. 3-15). A oração termina com a resposta de Habacuque (vs. 16-19), em que ele dá um majestoso depoimento da sua fé em Deus (vs. 17-19). O texto básico deste livreto nos mostra como manter a fé em meio às adversidades. Mas, como manter a fé em meio às adversidades? Por que devemos confiar em Deus?

SOMENTE EM DEUS ENCONTRAMOS FIRMEZA

Ao olharmos para o passado vemos o agir de Deus na história, entretanto, Ele continua agindo. O Deus da Bíblia é o Deus que intervém. Ele é o Deus do passado, do presente e do futuro. Ele é o Deus Eterno. É o Deus que responde. Ele é transcendente, mas também é imanente. O profeta Habacuque, ao ouvir a resposta de Deus, se emociona: “Ouvi-o, e o meu íntimo se comoveu” (v. 16). O profeta ficou movido com o que Deus lhe mostrou. Sempre que Deus fala, os seus filhos não ficam indiferentes. É impossível ficar do mesmo jeito. Outra coisa, a voz de Deus gera temor: “à sua voz, tremeram os meus lábios” (v. 16). Isto é o reconhecimento da santidade de Deus.
A santidade do Senhor nos faz ficar atemorizados. A voz de Deus nos mostra a nossa pecaminosidade e nos silencia. O profeta diz: “entrou a podridão nos meus ossos, e os joelhos me vacilaram, pois, em silêncio, devo esperar o dia da angústia, que virá contra o povo que nos acomete” (v. 16). A Palavra de Deus é pura e santa; nós somos pecadores e imundos. Diante da voz de Deus só nos resta guardar silêncio, pois é o Rei do universo quem está falando. Diante da voz da Majestade só podemos ficar firmes. O profeta Habacuque olha as situações sombrias em sua volta confiando em Deus. A fé cristã está firmada em Deus, não em ideias. Somente em Deus encontramos firmeza!

DEVEMOS CONFIAR EM DEUS, APESAR DAS ADVERSIDADES (v. 17)

Mesmo num momento futuro das mais tormentosas calamidades agrícolas e pastorais, quando o povo de Deus encarasse fome e pobreza, a expectativa confiante do profeta Habacuque não seria sufocada e refreada. Embora todos os subsídios naturais e previsíveis da vida se desintegrassem, o profeta se alegraria em Deus, e somente em Deus. Habacuque afirma o seu compromisso com o Senhor. Seu maior anseio é pelo próprio Deus. Devemos confiar em Deus, independentemente das circunstâncias. O apóstolo Paulo assim diz aos cristãos filipenses: Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.11-13). Devemos ter alegria em toda e qualquer situação. Devemos desejar Deus. Ele não é a maior riqueza que temos, Ele é a única riqueza que temos. Ele é tudo o que temos. Antes de desejarmos as bênçãos de Deus, devemos desejar o Deus das bênçãos. Muitas pessoas querem a paz de Deus, mas não querem o Deus da paz. Na passagem bíblica acima, o apóstolo dos gentios não passa uma mensagem de autoajuda ou coisa do tipo, mas de “contentamento” em Cristo. A questão não é quantas coisas conquistamos, mas se estamos contentes em e com Cristo.
O pastor Luiz Sayão nos fala algo bastante interessante sobre este versículo:

“Habacuque pressupõe que reconhecer a Deus e manter-se fiel a ele é a maneira correta de reagir contra o mal que tem poder de alastrar-se e de contaminar. Sua confiança em Deus chega a ponto de dizer que ainda que uvas (vinho), gado (carne e leite), azeitonas (óleo e combustível) e trigo faltassem, ele estaria disposto a alegrar-se em Deus. Esse espírito exultante, como o mal, tem também poder de propagação e influência.”[1]

Isto significa que os recursos da terra podem falhar, mas Deus não jamais falhará.
Deus não falha, Ele tem tudo sob controle. A tragédia não é maior do que o único Deus verdadeiro. A crise não é maior do que o Deus dos impossíveis. Assim, devemos ficar firmes no Senhor e confiar no seu agir. Habacuque diante da crise não se desespera. Ele confia em Deus. Mantém sua fé firme. A mensagem que aprendemos aqui é que não devemos nos desanimar por causa da crise. Não podemos nos deixar abater porque não conseguimos ver perspectivas melhores. Paremos por um momento e olhemos para trás e vejamos todo o cuidado de Deus. Ele tem nos sustentado. Agora, olhemos para a nossa vida e vejamos como Ele tem tomado conta de nós com muito amor, cuidado e proteção. Olhemos para frente, para Cristo, e sigamos confiantes. 
Mas, o que significa confiar em Deus? Vi uma linda ilustração sobre o assunto e desejo compartilhá-la com o fim de clarear o entendimento sobre a confiança em Deus:

“Loyde John Ogilvie (pastor norte-americano) conta a história de um menino que conheceu numa viagem. Ele observou o menino sozinho na sala de espera do aeroporto aguardando seu vôo. Quando o embarque começou, ele foi colocado na frente da fila para entrar e encontrar seu assento antes dos adultos. Quando Ogilvie entrou no avião, viu que o menino estava sentado ao lado de sua poltrona. O menino foi cortês quando Ogilvie puxou conversa com ele e, em seguida, começou a passar tempo colorindo um livro. Ele não demonstrava ansiedade ou preocupação com o vôo enquanto as preparações para a decolagem estavam sendo feitas. Durante o vôo, o avião entrou numa tempestade, muito forte, o que fez que ele balançasse como uma pena ao vento. A turbulência e as sacudidas bruscas assustaram alguns dos passageiros, mas o menino parecia encarar tudo com a maior naturalidade. Uma das passageiras, sentada do outro lado do corredor ficou preocupada com aquilo tudo, e perguntou ao menino: – Você não está com medo? - Não senhora, não tenho medo, ele respondeu, levantando os olhos rapidamente de seu livro de colorir: Meu pai é o piloto."[2]

Apesar das circunstâncias, Deus está no controle de tudo. Verdadeiramente existem circunstâncias que parecem que estamos em meio a uma tempestade, que nos fazem sentir-se suspendidos no ar sem nada a nos amparar. Mas não podemos esquecer que Deus não nos prometeu livrar-nos da tempestade, mas livrar-nos na tempestade[3]. Ele é o nosso piloto, e, portanto, não devemos temer mal algum. Ele está no controle. As tempestades são necessárias. Elas nos ajudam a crescer e ter maior resistência. O nosso Pai está no controle.

NOSSA CONFIANÇA EM DEUS TRANSFORMA O MEDO EM ESPERANÇA (v. 18)

A certeza e a esperança do profeta Habacuque não se baseavam em bênçãos passageiras, mas no próprio Deus. A fé dele surpreende e maravilha. Ela independe das circunstâncias ou situações. Ela depende de Deus, somente Dele. Habacuque estava disposto a perder tudo, menos a sua fé em Deus. Fé, segundo Keil e Delitzsch, é:

“confiança imperturbável nas divinas promessas da graça.”[4]

O pastor Hernandes Dias Lopes diz:

“Nenhum perigo pode nos alcançar quando estamos refugiados em Deus.”[5]

Há muitos que querem as bênçãos de Deus, mas não querem o Deus das bênçãos. Muitos querem a paz de Deus, mas rejeitam o Deus da paz. Ainda que faltem as bênçãos, o profeta dará graças ao SENHOR. Como o salmista disse: “Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra” (Salmo 73.25).
Jó adorou ao Senhor mesmo em meio às adversidades: Então, Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou; e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR! Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma” e Porque eu sei que o meu Redentor vive e por fim se levantará sobre a terra” (Jó 1.20-22 e 19.25). Somente em Deus o nosso medo transforma-se em esperança.

CONFIAR EM DEUS SIGNIFICA DEPENDER TOTALMENTE DELE (v. 19)

Apesar dos desafios e perigos, o profeta Habacuque tem uma fé totalmente confiante em Deus. Diante do incompreensível, entra a fé. Ele confiava totalmente na soberania e supremacia de Deus em todas as coisas. Sua fé suplanta a mais abatida experiência, pois é capaz de aceitar qualquer situação como sendo da vontade de Deus. Como mencionamos anteriormente, em Filipenses 4.13, o apóstolo Paulo diz: “tudo posso naquele que me fortalece.” Paulo não quer dizer que Deus nos dá a capacidade de fazer o que queremos, mas que Deus dá poder aos seus servos para que adquiram o contentamento em qualquer situação na qual Deus os colocar. Aqui fica uma grande lição: devemos nos conformar à vontade do Deus que dirige todas as coisas. A nossa confiança não deve estar na providência de Deus, mas no Deus da providência. Mais importante do que a paz de Deus é o Deus da paz (Filipenses 4.9). A paz que Deus oferece independe das circunstâncias. Uma coisa é certa: ou você confia totalmente em Cristo, ou não se considere um cristão. Cristo é o suficiente!
Quando o texto diz no versículo 19 “os meus pés como os da corça”, refere-se como a corça escalava os despenhadeiros com firmeza, sem resvalar, ainda nas regiões elevadas. Aqui, Habacuque confessa que a sua fé em Deus lhe permitiria suportar as dificuldades da invasão iminente, bem como todas as suas dúvidas particulares. Esta é a fé que suplanta a tempestade. É assim que o crente em Jesus senti-se em meio às adversidades: leveza, graça e alegria. Os pés da corça é o que lhe permitia escapar do inimigo.
A Bíblia diz que nada nos separará do amor de Deus: Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 8.37-39). Para o profeta Habacuque, a experiência do sofrimento o conduziu a uma fé ainda maior.
Ainda para ilustrar o que é e qual é a importância de se confiar em Deus, conta-se que:


“Um grande equilibrista, muito famoso em seu país, resolve fazer uma grande apresentação, que representará um grande e inédito feito em toda sua carreira: Atravessar um vale de uma montanha a outra, sobre uma corda bamba, sem nenhuma proteção, somente usando as suas habilidades de equilibrismo.
No dia marcado para a realização do grande feito, uma grande multidão se reúne para ver o grande equilibrista em ação. Concentrado, ele inicia sua travessia com muita maestria e, depois de algum tempo, chega até o outro lado. A multidão vai ao delírio e pede mais.
Foi quando algumas pessoas da multidão chegaram mais perto do equilibrista e lhe disseram: atravesse mais uma vez, você consegue! Você é o melhor! Você é demais! Temos fé em você! O equilibrista pergunta àquelas pessoas: Vocês creem que eu posso atravessar de novo esse vale, andando apenas nessa corda bamba? Sem hesitar todos responderam: Sim, nós cremos!
O equilibrista, então, pede ao seu assistente que lhe arranje uma carriola. Ninguém entendeu esse pedido estranho dele, mas o assistente fez como ele mandou. Quando a carriola chegou, o equilibrista chamou um homem daquele grupo que tinha tanta fé nele, e que cria tanto em sua capacidade, e lhe disse:
– Já que você crê tanto em minha capacidade, suba nessa carriola que eu atravessarei a corda bamba te levando nela!
O homem recuou imediatamente e não quis participar!
– Mas você não crê em mim, não crê que sou demais, que sou o melhor? Indagou o equilibrista!
– Eu creio que você é o melhor, mas não confio a ponto de subir nessa carriola. Disse o homem.”[6]

Assim somos muitas vezes com Deus! Dissemos que cremos Nele, que Ele é o melhor, mas não temos coragem de “subir na carriola” e entregar plenamente nossa vida aos cuidados dele! A questão não é por onde andamos (precipício ou vale da sombra da morte), mas quem está conosco durante a caminhada: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam” (Salmo 23.4).

CONCLUSÃO

Aqui ficam algumas perguntas que necessitam de respostas: Em quem você tem confiado? Onde está a sua esperança? Onde você tem depositado sua fé? Em quem você tem crido? Por que você deve confiar em Deus?
Em primeiro lugar, você deve confiar em DeusHHHhh porque Ele é fiel: “se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo” (2Timóteo 2.13).
Em segundo lugar, você deve confiar em Deus porque Ele não falha: “Nenhuma promessa falhou de todas as boas palavras que o SENHOR falara à casa de Israel; tudo se cumpriu” (Josué 21.45).
Em terceiro lugar, você deve confiar em Deus porque Ele é bom: “Oh! Provai e vede que o SENHOR é bom; bem-aventurado o homem que nele se refugia” (Salmos 34.8).
Há de lembrar-se que a ênfase do livro do profeta Habacuque não é a atitude do profeta, mas o fato do Deus soberano ter despertado fé no coração do profeta. Afinal, o livro começa mostrando a fé do profeta abalada e encerra-se com a fé do profeta fortalecida. Essa fé não vem de dentro de nós, mas vem de Deus. Não é questão de autoajuda, mas de ajuda do alto (de Deus). A mensagem do profeta Habacuque é que venha o que vier, aquele que confia em Deus se regozijará no Senhor sabendo que nEle estará salvo. Ou seja, Deus é o motivo da nossa alegria. O profeta está dizendo: “Venha o que vier, eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação”. Mas, ele não somente se alegra em Deus como também sente-se seguro nEle: “O SENHOR Deus é a minha fortaleza...”.
Portanto, caro leitor (a), olhe para Jesus, fale com Ele em oração, clame por Ele, tal como você é. Creia no Filho de Deus, reconheça-se como pecador e creia que Cristo morreu pelos pecadores. Abandone toda a autoconfiança e se lance inteiramente nos braços de Jesus para receber o perdão, a paz e a alegria.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

BIBLIOGRAFIA

Bíblia de Estudo de Genebra. Edição Revista e Ampliada. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2009.

Bíblia de Estudo MacArthur. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2010.

Bíblia de Estudo NTLH. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2008.

Bíblia de Estudo NVI, org. geral Kenneth Barker. São Paulo, SP: Editora Vida, 2003.

Bíblia Shedd, ed. responsável Russel Shedd. São Paulo, SP: Edições Vida Nova, 2009.

Campos Junior, Heber Carlos. TRIUNFO DA FÉ: lidando com o problema do mal: um estudo em Habacuque. São José dos Campos, SP: Editora Fiel, 2012.

Cavalcante, Kleber. HABACUQUE (apostila não publicada). Dezembro de 2001.

Coelho Filho, Isaltino Gomes. OS PROFETAS MENORES (II): Miqueias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias, Malaquias. Rio de Janeiro, RJ: Editora JUERP, 2002.

Lloyd-Jones, D. Martyn. DO TEMOR À FÉ: regozijando-se no Senhor em tempos turbulentos. São Paulo, SP: Editora PES, 2008.

Lopes, Hernandes Dias. HABACUQUE: como transformar o desespero em cântico de vitória. São Paulo, SP: Editora Hagnos, 2007.
Sayão, Luiz. O PROBLEMA DO MAL NO ANTIGO TESTAMENTO: o caso de Habacuque. São Paulo, SP: Editora Hagnos, 2012.




[1] Luiz Sayão. O PROBLEMA DO MAL NO ANTIGO TESTAMENTO: o caso de Habacuque. São Paulo, SP: Editora Hagnos, 2012, pg. 140.
[2] Extraído do link: http://www.sermao.com.br/ilustracoes/o-piloto/
[3] Deus não livrou Daniel da cova dos leões, mas na cova dos leões. Deus não livrou os três jovens da fornalha, mas livrou-os na fornalha.
[4] Citado por Isaltino Gomes, pg. 87.
[5] Lopes, Hernandes Dias. HABACUQUE: como transformar o desespero em cântico de vitória. São Paulo, SP: Editora Hagnos, 2007, pg. 154.
[6] Extraído do link: http://www.esbocandoideias.com/2013/01/esbocos-e-ilustracoes-voce-tem-mesmo-fe-em-mim.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA