TODA IGREJA LOCAL DEVE OFERTAR PARA O SUSTENTO DE MISSIONÁRIOS?


Sou pastor de uma pequena igreja local e sempre incentivo minha igreja a ofertar para missões nacionais e mundiais. O nosso lema é: nenhuma igreja é tão pobre que não possa ofertar para missões. Creio firmemente que toda igreja deve engajar-se em missões. A crise não pode nos impedir de ofertar para missões. No momento, a minha congregação contribui financeiramente para missões no Sertão Nordestino, Paraguai e África. São pequenas ofertas, mas já é um bom começo para uma igreja de dois anos de vida. Acredito que nossas ofertas são importantes para missões no Brasil e no mundo. Todavia, sempre alerto aos meus amigos pastores para que tomem cuidado na escolha de “projetos missionários” para apoiar, isto é, devido existir muitos “aproveitadores”, sempre digo para que sejam cautelosos e meticulosos na escolha e adoção de missionários. Muitos dos meus colegas de ministério já me confessaram que tiveram algumas frustrações e decepções com alguns missionários. Desde desapontamentos no que refere a missionários envolvidos em pecados escandalosos, desvio de dinheiro, mentiras, falsos relatórios, insubmissão, mau-caratismo, péssimo treinamento ou ausência do mesmo, visão missionária deficiente, ausência de visão de plantação de igrejas, etc.

Quero aqui enumerar alguns requisitos que devem ser observados quando formos adotar missionários:

1.       O missionário é verdadeiramente convertido? Ele está envolvido em algum escândalo?
2.       Ele presta relatórios?
3.       Ele se submete a alguma liderança?
4.       Ele tem igreja?
5.       Ele visa plantar igrejas?
6.       Você tem alguma desconfiança do mesmo? Já o pegou em alguma mentira?
7.       É um missionário de igrejas, isto é, só vive pregando em igrejas e nunca foi para o campo? Afinal, igrejas precisam de pastores e mestres para o pastoreamento e discipulado, pois quem precisa de missionários são os campos.
8.       É um missionário freelancer (de vez em quando), mas deseja ser sustentado integralmente? Pois, quem trabalha de vez em quando deve ser ajudado de vez em quando, mas quem atua missionariamente de tempo integral deve ser mantido integralmente.

Portanto, nenhum pastor ou igreja tem o dever de sustentar missionários que não os conhecem ou que não demonstram caráter cristão ou projeto genuíno. Mas todo pastor e igreja deve cooperar para o sustento de missionários que são verdadeiramente missionários. A verdade é que muitos missionários estão precisando de sustento. Refiro-me aos verdadeiramente missionários, aqueles que se afadigam no campo missionário. Devemos identificá-los e apoiá-los com nossas orações, ofertas e pastoreio. Toda igreja local deve contribuir financeiramente para missões.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

ESTRATÉGIAS DE EVANGELIZAÇÃO URBANA (Parte 01)