Pular para o conteúdo principal

Falsas Ideias Missionárias


DISTRUINDO MITOS MISSIONÁRIOS

“Nunca podemos permitir que nossa teologia nos roube nossa responsabilidade.” J. Blanchard

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.”Mc 16.15

Não podemos institucionalizar o mandamento de Jesus. Ou seja, não podemos pensar que se alguém não pode ir, pode fazer missões contribuindo ou orando. Alguns aproveitam para usar isso como desculpa para não ir. Em momento algum a Bíblia oferece três opções para o cristão escolher uma: orar, contribuir ou ir. Pelo contrário, são três tarefas que devem ser efetuadas por todos nós. Não podemos escolher uma. Na obra de Deus não temos alternativa. Fomos chamados para ir, e enquanto estamos indo, devemos orar e contribuir. Não podemos substituir o ir por pagar, orar, ou por qualquer outra coisa. Somente a pregação salva: “... aprouve a Deus salvar os que creem pela loucura da pregação” (1Co 1.21). Dinheiro e oração não salva. Entretanto, dinheiro e oração são partes imprescindíveis do sustento missionário. Não devemos apenas mandar dinheiro para o campo. Agir assim é dizer: que outros dêem seu sangue. Devemos interpretar o ir como ir mesmo (Mc 16.15). Não que a oração e a oferta não sejam importantes, pelo contrário, oração e oferta são pilares indispensáveis de sustentação da obra missionária. Sem oração não há missões. Sem oferta não há como manter integralmente os missionários. A falsa ideia missionária de que se não podemos ir devemos orar ou ofertar deve ser abandonada urgentemente. Não podemos ficar parados onde estamos. Precisamos sair de nossa zona de conforto e semear a Palavra que transforma vidas. Alguém que se diz ser crente, mas que não prega o evangelho, ainda não experimentou o novo nascimento. É por isso que eu evangelizo “crente” que não tem visão missionária, na verdade, ele é um verdadeiro campo missionário. Não é digno de ser chamado de cristão. Assim, devemos pregar onde quer que haja um homem em trevas espirituais. Missões se fazem com a pregação do evangelho, debaixo de oração e das ofertas de amor.

Outra falsa ideia missionária é a de que há três atitudes diante de missões: fazer algo, ficar olhando ou fugir. Todavia, este pensamento é antibíblico. Em nenhum lugar da Bíblia Deus diz que podemos ficar olhando ou fugir de missões. Pelo contrário, só temos uma alternativa: Ir. Marcos 16.15 não diz: “Fiquem olhando, fujam ou preguem o evangelho em todo o mundo”. Mas: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.” Missões não é uma alternativa. Missões é a evidência de que estamos cheios do Espírito Santo: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra” (At 1.8). Quando estamos cheios do poder do Espírito Santo missões é inevitável. Ninguém entra na obra missionária sem ser chamado e ninguém consegue sair da obra missionária quando se é chamado. Missões só nos oferece uma opção: Ir.

Nos laços do Calvário que nos une,
Luciano Paes Landim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A IMPORTÂNCIA DA FIDELIDADE DOS DÍZIMOS E DAS OFERTAS

Introdução:
O assunto do dízimo é um dos mais importantes na vida do cristão. A prática do dízimo é um tema controvertido nas igrejas evangélicas, tendo, de um lado, defensores apaixonados e, do outro, críticos ardorosos. Para alguns, é uma espécie de legalismo judaico preservado na igreja cristã. Para outros, trata-se de uma norma divina que tem valor permanente para o povo de Deus, na antiga e na nova dispensação. Os críticos do dízimo afirmam que sua obrigatoriedade é contrária ao espírito do evangelho, pois Cristo liberta as pessoas das imposições da lei. Os defensores alegam que essa posição é interesseira, porque permite às pessoas se eximirem da responsabilidade de sustentar generosamente a igreja e suas atividades. O grande desafio nessa área é encontrar o equilíbrio entre tais posições divergentes. O que está em jogo é uma questão mais ampla — o conceito da mordomia cristã, do uso que os cristãos fazem de seus recursos e bens. A Bíblia trata do dízimo em vários textos, isto é…

A ORAÇÃO É A CHAVE PARA A OBRA MISSIONÁRIA

“Quando o homem trabalha, o homem trabalha. Quando o homem ora, Deus trabalha.” Patrick Johnstone

INTRODUÇÃO
O mundo luta com armas químicas, biológicas, bombas atômicas e etc.. São armas consideradas de muito poder. No entanto, existe uma arma mais poderosa do que essas citadas: a oração do justo (Tg 5.16). Ela é mais potente do que os mísseis norte-americanos, pois nunca erra o alvo. A nossa arma é a oração. A oração nos orienta a tomar decisões importantes na obra missionária e em tudo na vida. Ela promove comunhão na igreja (At 2.42).
A oração é a marca distintiva da igreja missionária. A oração é um meio para enfrentar a perseguição. Em At 12.1 diz: “Por aquele tempo, mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar.” No versículo 5 diz que enquanto o apóstolo Pedro estava aguardando o seu martírio: “... havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele.” Toda igreja que faz missão passa por perseguição. Todavia, a perseguição não é capaz de acorre…

Ilustração Missionária: “A Missão de Uma Vela”